VOCÊ GASTA MAIS DO QUE GANHA?

 

Nunca foi tão fácil conseguir crédito nas lojas e, consequentemente, se endividar. A proposta do “compre agora e só comece a pagar daqui a dois ou três meses” ou “parcele as suas compras em até 10 vezes”, convenhamos, é algo muito sedutor para muitas pessoas, pois o consumo desperta fantasias e modifica condutas. O fascínio e o desejo do ter são tão grandes, especialmente mas não exclusivamente para as mulheres, que muitas vezes, as pessoas não compram por necessidade e sim por impulso e por desejo, pois além dos apelos da propaganda cada vez mais convincentes, tem gente que acredita que comprando vai compensar frustrações e preencher vazios de afetos e sentimentos por objetos ou, ainda, porque estão com raiva dos maridos e resolvem estourar o cartão de crédito deles por pura vingança.

O certo é que o endividamento é um fator crescente no país e nós estamos contemplados nessa estatística: 69% das famílias paraenses estão endividadas. Se você se inclui nessa estatística é hora de repensar suas posturas e verificar formas de quitar suas dívidas, reduzir seu consumo no que for possível e, o que é muito importante, não contrair novas dívidas. Problemas financeiros tiram a paz e a tranqüilidade de qualquer um e interferem na sua vida afetiva, social e familiar.

A MESADA É UM INSTRUMENTO DE EDUCAÇÃO

Os jovens também são vítimas do consumo e do crédito fácil. Talvez até mais do que os adultos se empolgam com as facilidades, gastam mais do que suas mesadas e remunerações de estágios permitem e termina sobrando para os pais arcarem com a dívida. O ideal é que a gente ensine desde cedo aos nossos filhos o valor do dinheiro, o quanto custa ganhá-lo e a necessidade de poupar um pouco pensando em necessidades futuras.

A partir dos seis anos as crianças já começam a ter pequenas experiências de consumo ao pedir dinheiro para comprar um lanche na escola, um brinquedinho ou doces no bombozeiro, uma revistinha… E, a partir daí, já podemos começar a ensiná-las a lidar com o dinheiro. Estabelecer um valor de mesada é um ótimo instrumento de educação onde eles vão aprender a cuidar do dinheiro para que dure o mês inteiro e a poupar para  comprar algo que desejem. Fique atento para que o valor da mesada seja estabelecido levando em conta a idade do seu filho e a situação financeira da família.

PADRÃO FINANCEIRO FAMILIAR

Passar por uma dificuldade financeira em função de circunstâncias como uma doença na família, desemprego, construção, reforma ou compra de um imóvel… pode acontecer na vida de qualquer um e se constitui uma situação momentânea e eventual o que é muito diferente de você transformar a sua vida num caos financeiro em que o seu endividamento é muito maior do que a sua possibilidade de pagamento. É na família que se aprende a lidar com o dinheiro e os pais funcionam como um modelo de desempenho para os filhos, embora nem sempre seguido.

Os problemas financeiros afetam a dinâmica da família e são motivo de brigas constantes entre o casal, mas por outro lado, também proporcionam uma oportunidade para fortalecer os laços afetivos,   organizar e ter mais cumplicidade para melhor planejar a vida e estabelecer juntos um plano de funcionamento futuro que priorize a quitação das dívidas e traga de volta para o ambiente familiar a paz e a tranqüilidade, além de ajudar a resgatar valores como o amor, a lealdade, a cumplicidade, a ética e a simplicidade. Saiba que é possível se viver melhor com menos e tendo mais qualidade de vida.

Post Tagged with

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.