VICIADOS EM REDES SOCIAIS

A tecnologia da informação ocupa um espaço cada mais amplo na vida de todos nós. Hoje fazemos parte de uma interconexão global. Quem domina um smartphone passeia pelo mundo, responde e-mails, navega nas redes sociais, acessa contas bancárias, ouve música, assiste a filmes, telefona, faz compras, consulta mapas e agendas, fotografa, produz  vídeos, joga e faz muitas outras coisas. Isso é possível porque os smartphones hoje concentram dezenas de tarefas que antes demandavam a utilização de vários diferentes aparelhos.

Pesquisas demonstram que o brasileiro passa, em média,  cinco horas por dia utilizando seu smartphone. Essas horas não são contínuas, mas acumuladas ao longo do dia. Justamente por isso,  as pessoas nem percebem que dedicaram um tempo excessivo ao telefone. Quando estão entediadas ou cansadas do que estão fazendo,  as pessoa recorrem automaticamente ao celular, da mesma forma que o ansioso está sempre abrindo a geladeira procurando em busca de alimentos.

 O smartphone não sequestra só nosso tempo, mas também nossa concentração e cria uma espécie de vício, principalmente na utilização das redes sociais. É só chegar uma notificação que a pessoa fica logo interessada em saber o que aconteceu e quem encaminhou a mensagem. Aliás, os aplicativos que mais enviam notificações são os de mensagens e de rede sociais. Ao começar a navegar nas redes sociais, torna-se difícil voltar a se concentrar no que se estava fazendo antes.

As redes sociais são projetadas  para agradar e manter as pessoas vinculadas. Quanto mais as utilizamos, mais elas acumulam informações a nosso respeito . Nossas preferências e interesses são automaticamente registrados a partir do que curtimos ou daquilo que nos chamou a atenção. Basta uma simples pesquisa sobre um determinado produto para que, logo em seguida, recebamos diversas ofertas do  produto pelo qual demonstramos interesse. O objetivo é a liberar a dopamina, substância conhecida como um dos hormônios da felicidade e que, quando liberada,  provoca a sensação de prazer e aumenta a motivação, inclusive, para comprar.

É difícil fugir do uso do smartphone porque ele é muito útil.  Logo ao acordarmos, via de regra, a primeira coisa que fazemos  é pegar o celular. Se algum dia você se esqueceu seu celular em algum lugar, provavelmente, ficou muito aflito, parecendo que ficou privado do seu contato com o mundo. Ele deve ser usado com moderação, pois dedicar tempo excessivo aos smartphones pode gerar transtornos psíquicos, como ansiedade e depressão.

Navegar nas redes sociais desvia a atenção e nos afasta de nossas tarefas e também provoca  atrasos em nossos compromissos.  Portanto, seja mais seletivo no que você vai acessar. Desligue as notificações dos aplicativos que não são essenciais. Limite o seu tempo de utilização do smartphone e, principalmente, libere seu tempo para atividades presenciais e prazerosas que, com certeza, vão agregar muito mais valor a sua vida.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *