Uma nova geração surge: os envelhecentes

O envelhecimento é uma das maiores conquistas da humanidade. A expectativa de vida aumentou mais de 20 anos nas últimas décadas, estando hoje em torno de 71,5 anos. E, segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) há mais de 650 milhões de pessoas com mais de 60 anos no mundo e a projeção é a de que em 2050 serão dois bilhões, mas o melhor disso tudo é que essas pessoas estão vivendo com mais qualidade de vida, aprendendo a se cuidar, a sonhar mais e a realizar desejos.

Parte dessa geração formada por pessoas com 60 anos ou mais, os envelhecentes, viveu o desejo de mudar o mundo em 1968, conviveu com o surgimento da pílula anticoncepcional, com a liberdade sexual, com a esperança de paz e amor no mundo… e, por tudo isso, têm uma atitude diferente diante da vida. E, mesmo que a OMS classifique cronologicamente como idoso, as pessoas com mais de 65 anos de idade em países desenvolvidos e com mais de 60 anos de idade em países em desenvolvimento, eles não se sentem assim.

Aceitar o processo do envelhecimento

O processo do envelhecimento não ocorre de forma igual pra todas as pessoas. Os fatores que interferem na longevidade, além da herança genética, dependem muito dos hábitos e atitudes de vida como a adoção de uma alimentação saudável, manter-se fisicamente e intelectualmente ativo, não fumar, ter bom convívio social, cultivar os laços de afeto com parentes e amigos, viver a espiritualidade, evitar a solidão e garantir amplos espaços para o prazer.

Mas, apesar dos cuidados, é claro que muita coisa muda com o passar do tempo e não dá pra fazer de conta que nada acontece. Se a pessoa tem uma postura positiva diante da vida, vai entender que cada ruga, cada marca, cada mudança no corpo representa uma história vivida, um tempo experenciado. Agora, quem não consegue aceitar o processo do envelhecimento como algo natural e não fizer um acordo de coexistência pacífica com o tempo vai se deprimir, se manter na solidão e ter uma relação melancólica com o passado, especialmente se já estiver se aposentado e não receber mais o reconhecimento profissional. Não importa qual seja a sua idade, o fundamental é conservar a capacidade de ver a beleza, de fazer planos, de sonhar e produzir felicidade. Isso é que é essencial!

Prontos para recomeçar

Graças aos avanços da medicina na parte da saúde, da estética e dos remédios anti-impotência  e da diminuição do preconceito, os idosos hoje vivem com mais autonomia, têm direito a se cuidar e a ter atitude positiva diante da vida, tornando-se protagonistas de uma nova história. Depois dos filhos criados, podem continuar aproveitando a vida e criando oportunidades para dedicar-se a fazer o que gostam.

Os envelhecentes aprenderam que o tempo vivido lhes propiciou maturidade com uma boa condição física e intelectual, sabedoria e estabilidade financeira para namorar, explorar a sexualidade sem culpa, consumir, viver o prazer, derrubar preconceitos, quebrar rotinas e viver afetos.  Afinal de contas, como disse Charles Chaplin: “A vida é uma peça de teatro que não permite ensaios. Por isso, cante, chore, dance, ria e viva intensamente antes que a cortina se feche e a peça termine sem aplausos”.

 

Post Tagged with

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.