Um amigo que veio do “enter”

 

A interatividade é uma característica cada vez mais marcante no mundo, até as crianças e os adolescentes já descobriram isso e são capazes de passar horas falando com os colegas no MSN, deixando mensagens no Orkut, jogando sozinhos ou com os amigos, baixando músicas… e como eles são hábeis!  Na verdade, eles gostam tanto dos recursos virtuais que, quando são intimados a sair da frente da telinha, acabam entrando em atrito com os pais.

A internet e todas as ferramentas virtuais não só facilitam a nossa vida como também a sua utilização tem modificado o modo das pessoas se relacionarem: orkut, msn e email foram incluídos no protocolo das relações de namoro; no controle das atividades dos filhos; no resgate de antigas amizades e possibilitado que se conheçam pessoas novas, algumas até de outros países, ampliando com isso os  nossos horizontes culturais e afetivos. Através do computador você consegue vencer distâncias, atravessar oceanos e criar uma rede afetiva e solidária de troca de experiências, de carinho e aconchego.

O mundo on-line

 Assim como na vida real, você conhece pessoas, se identifica com elas, vai conversando (teclando), o relacionamento se expande, se torna mais freqüente e cresce em importância a ponto de transformar um “oi” sem rosto (pelo menos inicialmente) em um amigo capaz de dividir momentos de muito acolhimento e carinho. Protegidas pelo anonimato (as pessoas se identificam por um nick) e pela distância, muitas pessoas conseguem desabafar e até mesmo falar de intimidades da sua vida com quem está do outro lado da tela, com uma facilidade que não teriam se a pessoas estivesse sentada a sua frente. Especialmente para as pessoas tímidas, isso funciona como um treino para a vida real, onde talvez não conseguissem se expressar de forma tão verdadeira, em se tratando de uma relação presencial.

E, se em algum momento, você achar que o (a) amigo (a) virtual se tornou desinteressante ou inconveniente é só desligar ou bloquear para que a conversa seja cancelada. Assim, continuar partilhando intimidade depende da confiança e da troca que se estabelece nesse processo, onde escolhemos e somos escolhidos e determinamos, de uma forma mais rápida e imediata, o tempo que a relação vai durar. É um controle que depende de uma tecla, embora se leve mais tempo para saber com quem a gente está lidando. Mas em qualquer circunstância, a verdadeira amizade é um amor que nunca morre.

Um amigo virtual pode se tornar real

Assim como na vida real, no mundo virtual nem tudo são flores e é preciso ter cuidado em procurar saber quem é a pessoa que você está “adicionando” como amigo em sua vida: fique atenta (o) às coisas que ele (a) diz, a forma como escreve, procure saber sobre a sua família, seus amigos, seu trabalho e o que ele (a) pensa da vida… e, se continuar valendo a pena esse encontro, traga seu amigo virtual para o seu mundo real.

Embora seja prazeroso e enriquecedor qualquer forma de encontro que possibilite você se sentir entendido, consolado e aconchegado, nada se compara ao estar presente, sentir o cheiro, ouvir a voz, trocar olhares, abraçar com carinho, sorrir de cumplicidade… As experiências que falam mais de perto ao coração e nos ensinam a lidar melhor com as nossas emoções e a conviver com as diferenças, necessitam de presença. Amigo escolhido ”pela alma lavada e pela cara exporta” participa mais ativamente da construção de uma grande amizade. Um beijo em todos os meus amigos.

 

 

Post Tagged with

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.