TRADUZIR EMOÇÕES EM PALAVRAS ALIVIA A DOR

Quando eu leio um livro, um poema ou um texto fico imaginando a emoção da pessoa no momento em que o escreveu, que sentimentos pontuavam a sua vida e lhe mobilizaram aquelas lembranças, desejos ou sonhos. Mais do que isso, reflito sobre que sentimentos aquela leitura despertou em mim, o quanto eu me identifiquei ou não com as ideias desenvolvidas naquele texto. Não só a escrita pode despertar nossas emoções, a escultura, a pintura, o teatro, o cinema, a música e todas as formas de manifestação artística costumam acordar emoções e denunciar sentimentos.

É comum as pessoas ligarem canções à suas vidas, se lembrarem de pessoas e de momentos ao ouvirem determinada música e essa identificação costuma vir através das letras, do conteúdo manifesto em palavras. O maravilhoso Milton Nascimento, em Certas Canções, traduz essa sensação de identificação e pertencimento que a música pode trazer – “Certas canções que ouço cabem tão dentro de mim, que perguntar carece como não fui eu que fiz. Certa emoção me alcança corta-me a alma sem dor, certas canções me chegam como se fosse o amor”.  Então, nossas recordações, desejos e sonhos não surgem do nada e as palavras, sem dúvida, mobilizam muita coisa em nós.

ESCREVER PARA PENSAR

Escrever é um exercício do pensar que facilita o nosso cotidiano e a organização da vida como um todo, por isso fazemos listas de compras e de intenções; criamos roteiros; planejamos atividades; deixamos bilhetes com orientações de tarefas; agendamos compromissos e anotamos coisas que precisam ser lembradas. Tudo isso já faz parte da rotina de quase todos nós, que vivemos as urgências da vida moderna e precisamos nos organizar, da melhor forma possível, para resolver as circunstâncias da vida; mas nós podemos ser muito mais beneficiados com o exercício de escrever, essa pode ser uma forma muito produtiva de superar dores e perdas.

Registrar no papel experiências, relatar fatos acontecidos tendo um foco definido, falar de emoções, sensações e sentimentos, colocar pra fora o que lhe incomoda e inquieta de uma forma absolutamente protegida (os outros só vão ler o que você escreveu se você permitir que eles tenham acesso a esse material), além de aliviar a alma, costuma ajudar as pessoas a refletir sobre si, entender melhor o seu funcionamento e a superar o sofrimento. Assim, traduzir emoções em palavras permite uma reflexão dos acontecimentos e uma reelaboração de sentimentos.

EFICÁCIA DAS NARRATIVAS

Alguns estudos comprovam a eficácia da escrita e das narrativas na superação de traumas e na melhora da saúde física e mental. Ao escrever sobre momentos presentes ou acontecidos a pessoa se permite ter contato com cronologias e sentimentos, o que favorece a sua organização psíquica. Quer tentar? Experimente colocar no papel o relato de algo que lhe aflige, verifique o que é seu e o que é do outro nessa história e, a partir daí, avalie se cabe alguma atitude de reparação para que você possa se perdoar ou perdoar o outro por algo que já aconteceu e que por isso mesmo não pode ser modificado. Você não pode modificar o fato, mas pode resignificar sentimentos!

Ficar em paz não tem preço, assim como também é impagável você ser surpreendido com uma mensagem, um bilhete, um email, uma ligação ou qualquer outra forma de comunicação que revele afetos, que declare amor e que sirva para fortalecer vínculos e laços emocionais. E aproveitando o momento, quero agradecer a todas as pessoas que leem os meus artigos e que me mandam email comentando algo ou que quando me encontram manifestam carinho. Muito obrigada de coração! Bom domingo a todos!

Post Tagged with

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.