“Tanto riso, tanta alegria…”

Estamos em pleno carnaval, a maior festa popular brasileira que, a cada ano, mobiliza  um número maior ( e olha que já são milhares ) de brincantes e turistas em torno do desfile das escolas de samba, blocos e festa numa celebração ao prazer e à vida. O carnaval é  a  festa da alegria despreocupada e representa uma oportunidade, para muitos ansiosamente esperada, de fugir das pressões do dia-a-dia, de aliviar o estresse, extravasar tensões e expressar desejos reprimidos: “carnaval, desengano. Deixei a dor em casa me esperando e brinquei e gritei e fui vestido de rei, quarta-feira sempre desce o pano”.

O carnaval também representa uma grande oportunidade de vivermos a fantasia. É a nossa grande chance de virar reis, princesas, odaliscas, deusas, ciganas, super-heróis… e cada uma dessas escolhas revelam e refletem desejos, às vezes inconfessos, e desnudam a nossa alma. Ilude-se quem pensa que no carnaval as pessoas se escondem através de máscaras e fantasias, na verdade, elas estão    se mostrando e se revelando.

Liberou geral

Provavelmente, por ter sua origem nas festas Dionisíacas na Grécia e nos bacanais romanos, o carnaval é marcado pelo abuso de álcool, sedução e erotismo. Parece que no carnaval fica decretado que tudo é possível e permitido. Assim, nos dias de folia, até as marchinhas carnavalescas antecipam, como um vaticínio, o que pode acontecer: o consumo excessivo de álcool (“As águas vão rolar, garrafa cheia eu não quero ver sobrar…”; “eu vou beber, beber até cair. Me dá  um dinheiro aí…”; “se você pensa que cachaça é água… só não quero que me falte, a danada  cachaça…”) e a sexualidade exarcebada ( venha, veja, deixa, beija, seja o que Deus quiser. A gente se embala, se embola, se embola, só para na porta da igreja…).

Mas, tenha muito cuidado para que essas transgressões não tragam graves conseqüências para você e outras pessoas que não têm nada a ver com seus arroubos de carnaval. O fato é que o abuso do álcool faz crescer o número de acidentes de trânsito, provocando muitas mortes;  aumenta as chances de um comportamento sexual de risco (de contrair doenças sexualmente transmissíveis), além  de todos os inconvenientes e transtornos causados pela embriaguez. Lembre-se: o carnaval termina e a vida segue seu curso e sempre nos cobra as conseqüências dos nossos atos.

“Na quarta-feira sempre desce o pano”

Mas, nem todo mundo escolhe cair na folia durante o carnaval. Muitas pessoas aproveitam as oportunidades de feriado para descansar, ficar mais tempo com a família,  assistir filmes, ler, reunir os amigos parar assistir ao desfile das Escolas de Samba (toda a minha torcida para a verde e rosa. Sucesso, Mangueira!), jogar conversa fora, fazer um churrasco, tomar uma cervejinha… ou até mesmo não fazer nada, afinal de contas, vivemos uma vida tão urgente e estressada que, às vezes, a melhor opção é desacelerar e buscar a tranqüilidade.

Mas, se a sua opção é curtir o carnaval, lembre-se que pra ficar alegre você não precisa tomar todas; alias, de porre você só arruma é muita confusão. Se for fazer sexo, use camisinha, proteja-se e proteja seu parceiro. Brinque e aproveite de forma saudável! Bom carnaval para todos!

Post Tagged with

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.