SUICÍDIO: ENTENDER AS CAUSAS É A MELHOR PREVENÇÃO

A data 10 de setembro é destacada  como o Dia Mundial de Prevenção do Suicídio. No  Brasil, o mes é chamado de Setembro Amarelo e é dedicado à prevenção do suicídio.  Segundo a Organização Mundial de Saúde –OMS, anualmente, mais de 700 mil pessoas no mundo tiram a própria vida. Em nosso País a cada 45 minutos ocorre uma morte por suicídio e, para cada morte, estima-se que existam outras 20 tentativas. As ocorrências concentram-se na faixa etária de 15 a 29 anos. Amargamos a triste estatística de sermos o oitavo país em número de suicídios no mundo.

Mas, o que leva alguém a tirar a própria vida? As causas são multifatoriais, envolvem elementos biológicos, genéticos, ambientais, além de uma imensa vulnerabilidade provocada por bullying, sérios conflitos familiares, abusos físicos e sexuais,  término de relacionamentos amorosos, abuso de álcool e de drogas, solidão, vazio existencial, alta conectividade (o que confronta as pessoas a uma “felicidade tóxica”  e que muitas vezes nem é real) e a presença de transtornos psiquiátricos (90% dos casos), principalmente depressão e transtorno bipolar (50% dos casos).

Nosso século é marcado pelo avanço da tecnologia e por crescentes transtornos emocionais . Hoje  a mídia é, ainda mais, considerada  um outro grande fator de motivação do suicídio.  Poucos minutos após um suicídio  já proliferam imagens nas mídias sociais. Essa prática contribui  para que muitos acreditem ser o suicídio uma forma  de se libertar das dores  da vida. Não se deve divulgar as imagens de um suicídio e muito menos glamourizar  o ato. O  que leva uma pessoa a se matar não é a coragem mas, sim, a desesperança, o sofrimento e o desespero.

Alguns sinais ajudam a identificar os riscos de suicídio. A pessoa se colocar em situações de perigo, apresentar histórico de depressão, transtorno bipolar, ocorrência de casos de suicídio na família, mudanças acentuadas no comportamento,  sofrimento profundo com crises de choro, automutilação, isolamento social e familiar são alguns exemplos.  Outros são postagens em  redes sociais com conteúdos de despedida,  desesperança ;falas ou vídeos  demonstrando desespero, sentimento de inutilidade e declarações como  “ não aguento mais,  quero morrer; a vida não vale a penar”. Quase sempre, a pessoa que pensa em se matar avisa, dá sinais de que a vida para ela não está fazendo sentido e que morrer seria um alívio.  Portanto,  perceba os” avisos prévios”, sejam eles verbais e ou nas mudanças emocionais. Preste atenção nas alterações do comportamento Quem quer se matar avisa sim!

Falar sobre o suicídio ainda é tabu, mas é necessário. Precisamos agir preventivamente, fazer rodas de conversa nas escolas e levar esta discussão para dentro de nossas casas. Qualquer ameaça ou tentativa de suicídio precisa ser levada a sério. Estima-se que cerca de 98%  dos suicídios poderiam ser evitados se a família e os amigos percebessem o risco. Conversar,  acolher e procurar, imediatamente, ajuda médico-psicológica, é a melhor prevenção. Vamos todos nos unir em defesa da vida.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *