SOMOS AMIGOS E NADA MAIS!

Durante muito tempo acreditou-se que um homem e uma mulher jamais poderiam ser amigos e o motivo dessa crença não vinha do fato de que a diferença de sexos necessariamente acarretaria em interesses específicos e diferenciados. Na verdade, essa impossibilidade baseia-se na crença de que o desejo sexual sempre estará presente toda vez que um homem e uma mulher se encontrem e compartilhem  um mínimo de intimidades e, muitas vezes, esse  preconceito  chega ao ponto em que  algumas pessoas acreditam que isso só pode ser possível se a mulher for muito feia.

Acontece que, com a entrada das mulheres no mercado de trabalho, esse encontro entre homens e mulheres aconteceu de uma forma mais natural e, ao partilharem diariamente tarefas e desenvolverem projetos juntos, criaram-se as condições objetivas necessárias para que houvesse uma relação de entre ajuda, companheirismo e amizade. Assim, através do estabelecimento de vínculos profissionais e com maturidade, homens e mulheres puderam vivenciar uma relação de amizade verdadeira, desprovida de interesse sexual.

CUMPLICIDADE DESINTERESSADA

É convivendo que a gente aprende a conhecer as pessoas. Na lida com todas as circunstâncias do dia-a-dia é que as pessoas revelam suas fragilidades, suas habilidades, seus temores, seus amores, suas dúvidas, seus medos, seus humores, seus interesses, seus defeitos, suas qualidades, seus desejos…  sendo muito natural nesse contexto de convivência diária que as pessoas se aproximem e se agrupem em função de necessidades e afinidades. As amizades nascem assim num contexto de ajuda mútua, de troca de experiências, de apoio, de admiração, numa relação de iguais e, ao se tratarem como iguais, o potencial erótico diminui absurdamente, surgindo uma cumplicidade desinteressada. A amizade é acima de tudo uma relação de amor, mas sem sexo.

Numa relação de amizade há troca de qualidades, partilha-se vida e desenvolvem-se  cuidados e afetos e quando  isso ocorre o que menos conta é o sexo das pessoas. O escritor irlandês Oscar Wilde foi muito assertivo ao afirmar que “escolho meus amigos pela alma lavada e pela cara exposta. Não quero só o ombro e o colo, quero também sua maior alegria”.

AMIGO MORA NO TERRENO DO SAGRADO

Pra se preservar uma amizade, especialmente se o amigo for do sexo oposto, é necessário ter muito cuidado para evitar situações de constrangimento e de ciúmes com o seu companheiro. O melhor é tentar aproximá-los e envolvê-los nessa energia de carinho e cumplicidade que existe entre vocês; também, é de muito bom tom você não exagerar nos elogios com relação ao amigo e muito menos que faça comparações entre eles. Do mesmo modo que a amizade de vocês foi se solidificando com o tempo, permita que eles se conheçam melhor e que possam também se escolher como amigos, se for o caso.

Sabe aquela história de que os amigos dos meus amigos terminam também se tornando meus amigos e todos nós acabamos formando uma rede solidária e fraterna, pois é, o mesmo postulado deve  ser válido para também incluir os parentes e os amigos de nossos parceiros em nossas vidas. É sempre bom respeitar o espaço do outro, suas escolhas e vinculações na vida, mas, se de alguma forma você se sentir incomodada com algo que tenha acontecido, é com o seu parceiro que você deve discutir isso, pelo menos num primeiro momento.

No geral, é sempre bom lembrar que amigo não é escolhido pelo sexo, pela raça, pela religião, pela crença política… e sim pela capacidade de nos conhecer profundamente e mesmo assim nos amar. Saúde e vida longa a todos os meus amigos!

 

Post Tagged with

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.