Síndrome de Peter Pan

Quando o escritor escocês James Matthew Berrie criou o personagem Peter Pan (em homenagem a Pan, o irreverente Deus grego), um garoto que morava na Terra do Nunca, um lugar encantado onde ninguém envelhece, habitado por piratas (lembra do Capitão Gancho?), sereias, fadas…  provavelmente, não tinha a noção de que esse personagem sairia do mundo mágico das histórias infantis e emprestaria seu nome para designar uma síndrome (embora não seja oficialmente reconhecida como doença) que acomete especialmente os homens adultos que não querem ou na conseguem crescer, se comprometer, ter responsabilidade e assumir um comportamento compatível com a sua idade.

Na síndrome de Peter, mesmo quarentões, os homens funcionam como eternos adolescentes e fazem de tudo para ignorar a passagem do tempo: se vestem  como garotões, são aventureiros, vivem em baladas, falam gírias, seus amigos são sempre muito mais jovens, namoram adolescentes, passam horas na academias malhando, não conseguem se manter por muito tempo  num emprego formal, embora sejam capazes de ganhar dinheiro (às vezes até bastante), mas o gastam de forma impulsiva e irresponsável. Seu padrão de estilo de vida é o dos jovens!

Quarentões com vida de adolescente

Os homens com esse perfil costumam ser companhias divertidas. São encantadores e levam a vida com leveza e  alegria. Tudo fachada! Embora não pareçam, são pessoas egoístas, imaturas, indecisas, inseguras, superficiais, narcisistas, irresponsáveis, tem baixa auto-estima e um talento muito grande pra se meter em confusão e, quando isso acontece, costumam responsabilizar os outros pelos seus erros. Falta-lhes preparo emocional para lidar com a vida.

É natural os adolescentes sonharem em conquistar liberdade e independência, mas, apesar disso, continuam querendo receber  tudo na mão e se esquivam de assumir responsabilidades. Talvez por isso, a adolescência,  período de transição entre a infância e a idade adulta, esteja ficando cada vez mais esticada (especialmente na classe média), sendo relativamente comum os jovens viverem totalmente dependentes dos pais até concluírem a faculdade ou a pós-graduação. De um modo geral, os homens costumam demorar mais do que as mulheres para amadurecer, mas se não amadurecem nunca, fica muito difícil a vida pra eles. Em algum momento eles precisam entender que não podem fazer tudo o que querem.

Vê se cresce!

 Os filhos costumam ser o mais importante vinculo de amor dos pais. Prepará-los para a vida, ajudá-los a crescer significa investir tempo e dedicação em autonomia e liberdade, pois, a forma como eles são criados influiu decisivamente em sua visão de mundo e definição de vida. Superprotegê-los é ampliar possibilidades de que no futuro, já adultos, eles mantenham um funcionamento adolescente, comprometendo o desempenho deles em todas as áreas da vida. Para que eles não se tornem eternos adolescentes é preciso incentivá-los a estudar, a trabalhar, a ter responsabilidade, a organizar a vida e a enfrentar a realidade.

Os homens com a síndrome do Peter Pan são sedutores, alegres e costumam fazer sucesso com as mulheres, contudo, não demora muito para que fiquem muito visíveis as suas dificuldades em estabelecer um relacionamento afetivo sólido e duradouro com alguém, a não ser que tenham a imensa “sorte” de encontrar uma parceira que assuma o papel de uma segunda mãe: que seja cuidadora e provedora. O melhor mesmo é crescer, amadurecer para não correr o risco de viver preso pra sempre a um mundo de fantasia, como a Terra do Nunca.

Post Tagged with

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.