QUE DECEPÇÃO!

 

Quando a gente conhece alguém ou está ansiosa para fazer algo, que de alguma forma chama a nossa atenção e mobiliza desejos, é natural que se crie expectativas acerca dessa pessoa ou do evento. Até aí tudo bem! Acontece que nossas expectativas são influenciadas por desejos, experiências, jeito de ser, visão de mundo, pela forma como avaliamos pessoas, pela forma como as pessoas se mostram (tem gente que é propaganda enganosa) e pela importância que damos aos acontecimentos; assim, as expectativas que criamos em torno de pessoas, coisas e acontecimentos têm muito de nós, mas quando algo não dá certo é tão mais fácil responsabilizar os outros. Certo?

Cada um de nós é autor da sua própria história e se movimenta no mundo baseado nos estímulos que percebe e recebe, e pela forma como integra as circunstâncias externas ao seu mundo interno. Imaginem só, nós temos aproximadamente 100 bilhões de células, o que nos possibilita uma infinidade de aprendizados, mas que são pessoais e diferenciados. Então, cada um de nós processa o conhecimento de modo diferente e isso influencia na forma como lidamos com as circunstâncias da vida. Mais importante do que o que acontece na vida da gente é a forma como lidamos com o que acontece.

PROMESSAS CRIAM EXPECTATIVAS

 Na vida nada acontece por acaso!  Quando alguém cria uma expectativa, a esperança de que algo aconteça não vem do nada, tanto pode ser criada por você como pode vir de gestos e promessas de outra pessoa, contudo, independente da forma ou origem desses fatos é preciso que se fique muito atenta aos indicadores de realidade, para que se possa perceber o que esperar, o quanto investir e avaliar de forma adequada se você está mais próxima da desilusão ou da esperança. A verdade é que nossos desejos nos movimentam na vida; as nossas expectativas podem gerar entusiasmo, concretude ou decepção e a realidade quase nunca corresponde exatamente às nossas fantasias.

Não criar expectativa acerca das pessoas e eventos é muito difícil, pois nós humanos somos seres desejantes, mas mantê-las num nível em que nos permita perceber a realidade é o desejável. Criar falsas expectativas nos afasta das possibilidades da realidade. Sem dúvida, a vida fica menos difícil quando a gente mantém expectativas mais baixas sobre as pessoas e fatos e permite que o inesperado faça uma surpresa e nos livre de tantas decepções e desenganos.

NINGUÉM PODE DAR O QUE NÃO TEM!

O Psicoterapeuta alemão Frederick Perls, com profunda sabedoria e simplicidade, nos fala sobre expectativas: “Eu faço as minhas coisas e você faz as suas. Eu não estou neste mundo para satisfazer as suas expectativas e você não está neste mundo para satisfazer as minhas. Você é você, e eu sou eu. E, se por acaso, nós nos encontrarmos, será ótimo. Se não, nada se pode fazer”.

Pois é, muitas pessoas têm dificuldade em internalizar isso, porque acreditam que seu parceiro amoroso deve preencher os seus vazios e essa é uma tarefa pessoal e intransferível, não é responsabilidade do outro.

Enfim, ninguém consegue ser o que não é, dar o que não tem e nem funcionar de um jeito diferente do seu, portanto, não invista em nenhum relacionamento acreditando que o seu amor vai mudar o seu parceiro e ele vai ser exatamente do jeitinho que você sonhou. É claro que todo mundo pode mudar, mas nunca por decreto ou imposição dos outros e, quanto às expectativas, saiba que os melhores programas são aqueles em que você está em casa de pijama e um amigo insiste pra você sair, assim como também fica mais fácil o encontro amoroso quando você esbarra ou conhece a pessoa por descuido ou poesia e nem teve tempo de criar expectativas. É isso!

 

Post Tagged with

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.