QUANTO VALE A SUA VIDA?

Há cerca de um mês, a Organização Mundial de Saúde (OMS) declarou a pandemia da Covid-19 e apesar do crescimento alarmante dos casos de contaminação e mortes, no mundo inteiro, ainda estamos aprendendo a respeitar as regras do isolamento social. Segundo dados do Ministério da saúde de 13 de abril, o Brasil tem contabilizado 1.328 mortes e 23.430 casos confirmados de corona vírus; em sete dias, o total de mortes, no Brasil, subiu 99%; no Pará, já foram confirmados 17 óbitos – e até o Ministro da Saúde reconhece que esses números não correspondem à realidade, estão subestimados.

Já fomos amplamente avisados de que a Corona vírus é transmitida através do contato com a saliva e catarro e pelo ar, através da tosse e do espirro. Estamos sendo alertados o tempo inteiro de que o isolamento é o único meio de desacelerar a transmissão do vírus e preservarmos o sistema de saúde. Esse é o meio de nos protegermos! Porém, infelizmente, essas orientações não estão sendo cumpridas por um número muito grande de pessoas – segundo dados da SEGUP, de 11 de abril (sábado), Belém apresentou 52,8% de índice de isolamento social; precisamos chegar a pelo menos 70%.

Muitas pessoas continuam circulando, desnecessariamente, nas ruas e sem máscaras. No domingo de Páscoa, em Belém, praças e feiras estavam lotadas, descumprindo as regras de isolamento – teve até ensaio fotográfico de grávida na Praça Batista Campos. Se você já esteve num supermercado durante a vigência da pandemia, com certeza, pode constatar a quantidade de gente que circula no local, sem qualquer tipo de proteção. Não sei o que essas pessoas pensam, talvez só vão acordar para a gravidade do fato quando algum parente ou amigo próximo vier a óbito, por conta da Covid-19.

Depois da saúde, a liberdade é o bem mais precioso que temos na vida, mas para desfrutá-las é preciso que permaneçamos vivos. Vivemos um momento de melancolia e intenso sofrimento psíquico: o medo nos ronda e o estresse invade a nossa vida com o objetivo de nos manter alertas. Mas tudo vai passar, precisamos cuidar de nossa saúde física e mental para seguirmos em frente – “a ideia é nos isolarmos hoje, para quando nos juntarmos de novo não falte ninguém”.

Os cientistas no mundo todo estão pesquisando a Covid-19. A cada 3 horas, é publicado um novo estudo sobre o assunto: a China lidera esses estudos e o Brasil está em 16º lugar na produção de novos estudos (e a ciência, graças a umapandemia voltou a ser valorizada).

Precisamos nos cuidar e acreditar que tudo vai passar, porque vai passar! Sei que está sendo muito difícil viver com tantas restrições e conviver com tanto medo. Isso tudo acontece, “Porque é sem nome, nem tamanho a tristeza de ver o nosso futuro coletivo caducar à nossa frente. Por vezes, confesso, afundo-me nesse abatimento que se converteu num profundo cansaço. Mas depois, basta uma manhã luminosa, o riso solto de quem amo, um pretexto tolo e gratuito para me libertar desse abatimento. É sobre esta capacidade de renascer que te quero falar” (Mia Couto, escritor sul africano). Vamos nos cuidar! Fiquemos em casa!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.