OS ERROS NOS HUMANIZAM E NOS MOVEM

Nem um de nós está livre de se apaixonar pela pessoa errada! Ao conhecermos uma pessoa, construímos uma imagem dela baseada em nossos desejos, necessidades e também na forma como ela se mostra pra nós. É claro que é muito natural, no período da conquista, você se mostrar encantador e tentar realçar mais suas qualidades. Todo mundo faz isso! É com o tempo e com a intimidade que as imperfeições e chatices vão aparecer, afinal de contas ninguém é perfeito; e, muito menos, ao conhecer alguém, vai logo falando dos defeitos… “tenho mau humor quando acordo” ou “me irrito com barulho”…

Quando constatamos que a pessoa se mostra como é na realidade, fica mais fácil dividir as ocorrências do dia-a-dia com alguém verdadeiro. Além disso, se o amor acabar ou o relacionamento terminar por outros motivos, pode até restar mágoas, mas também sobreviverão as lembranças boas dos momentos vividos. Agora, se a pessoa era uma “propaganda enganosa” e, como forma de sedução e de conquista, inventou uma personagem para si mesmo (a), o sofrimento poderá ser maior, pois, além de lidar com a dor do rompimento da relação, você fica se cobrando como pode se envolver e se apaixonar por alguém assim? 

DESCONSTRUINDO UMA IMAGEM

As pessoas desonestas no amor se mostram totalmente diferentes do que realmente são na realidade, pois não tem nenhum compromisso com a verdade. Normalmente, são muitas sedutoras e até mesmo quando comentam sobre seus antigos relacionamentos, se vitimizam, descrevendo seus (suas) antigos(as) parceiros(as) como alguém com uma história de vida muito pesada e por isso o relacionamento  era muito complicada(o); ou como alguém que o(a) desqualificava e desvalorizava perante todos. Como a tendência é você ser solidário com a vítima, esse script funciona muito bem e você tende a cobrí-lo (la) de carinhos e atenções,  pois, além de desejar estabelecer com ele(a) um vínculo afetivo duradouro, também tenta recompensá-lo (la) pela infelicidade vivida por ele(a)  anteriormente.

Como ninguém consegue esconder quem realmente é por muito tempo, quando você, de fato, perceber com quem está lidando e constatar que foi seduzida (o) por uma fantasia criada pelo (a) outro (a), perceberá que seu desejo e capacidade de amar foram maiores do que sua perspicácia e intuição. Então é hora de tomar uma atitude séria e agradecer à vida e a Deus por ter, enfim, percebido o que você deveria ter visto antes… Não tenha compromisso com o erro!

A VIDA SEGUE…

Escolhas insensatas podem acontecer com qualquer pessoa… E quando acontece, o jeito é enfrentar a tristeza, aprender com os erros, dar um tempo para curar as feridas e aprender a lidar com a culpa por ter tido um sentimento verdadeiro por alguém que nunca existiu e que, talvez, nem conheça a si mesmo(a),  por isso ele(a) se inventa através de um personagem e tenta viver uma vida que não é a dele. O que não é saudável é você fazer de conta que não sabe o que já sabe ou que não sente o que sente: a frustração gerada por uma escolha insensata. Acredite, apesar da desilusão, os erros nos humanizam e nos movem, a vida segue e novos amores virão. Quem abre mão do amor, abre mão da vida. E, como dizia o inesquecível Tom Jobim, ”as pessoas vão se apaixonar novamente, o romance nunca há de morrer”.

Post Tagged with

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.