“O QUE TINHA DE SER”

                Há momentos e encontros que modificam a vida da gente. De repente, meio que do nada, num dia qualquer, sem avisar e sem lhe dar tempo para maiores produções e preparações, acontece alguém na sua frente que, sem que você e nem ele saibam, veio para armar acampamento no seu coração e ficar na sua vida, sabe Deus se por uma temporada ou para sempre. E você que nem estava a fim de sair de casa naquele dia e só saiu por muita insistência dos amigos e tudo o que você mais queria era ter ficado em casa, se jogado na cama para assistir a um filme interessante ou ler um bom livro e depois dormir… quem sabe sonhar com a possibilidade de um novo amor em sua vida.

Mas, como a vida também reserva surpresas agradáveis pra todos nós, naquele dia, cruzou pelo seu caminho alguém que veio para fazer a diferença na sua vida, para subverter a ordem, lhe tirar o fôlego, comprometer a sua lucidez, preencher o seu mundo de encantamento e alegria e lhe fazer cantarolar “porque foste na vida a última esperança, encontrar-te me fez criança…” e com a alma infantil aflorada, a gente aprende a fazer mágica, a criar possibilidades, a dar um passeio no tempo e a produzir felicidade.

UM CUPIDO AMIGO

Um dia desses li uma pesquisa muito interessante que apontava que a maioria dos casais era formado a partir da apresentação dos amigos e isso faz muito sentido! Vejam bem: em princípio, um amigo é alguém que nos conhece razoavelmente bem e, sendo assim, sabe como é o nosso jeito de ser, quais os nossos principais desejos e sonhos, quais as nossas qualidades e os nossos defeitos, o que nós gostamos de fazer, quais as nossas expectativas diante de um relacionamento amoroso, o que nós valorizamos nos outros… e, se nosso amigo também conhece  um pouco a maneira de ser do outro, vai saber ou pelo menos supor, que o jeito de ser dele vai combinar com o nosso jeito de ser e que esse encontro pode dar jogo.

E olha que eles tem uma chance muito grande de acertar. Aliás, muitas vezes os amigos não só apresentam os casais como também fazem a maior propaganda de um para o outro, funcionando como verdadeiros cupidos – “eu tenho um amigo pra te apresentar que tem tudo a ver contigo” – e, se esse amigo é alguém que você considera centrado em suas escolhas e sensato em suas ponderações, você já vai para esse encontro receptivo e com a sensação de que algo pode acontecer e, se o namoro ocorre, de uma forma carinhosa e mágica a gente até acredita poeticamente em destino “… porque já eras meu sem eu saber sequer, porque és o meu homem e eu tua mulher”.

O AMOR ESTÁ NO AR…

Todo mundo gosta de patrocinar o amor! É muito bom quando alguém, usando de sensibilidade e boa vontade, percebe que pode tentar dar uma ajuda no “destino” e aproximar pessoas que se não se encantarem amorosamente uma com a outra, podem estabelecer uma relação de amizade. E quando a gente está solteira, sempre tem alguém para perguntar, cadê o namorado? Não se constranja com a pergunta se você por acaso estiver sem namorado, isso não torna ninguém desinteressante, mas aproveite a oportunidade, lembre-se da pesquisa e já responda perguntando: eu estou sem namorado. Você tem algum amigo interessante pra me apresentar?

Acredite que o amor pode acontece sem avisar, às vezes até num momento de desesperança e conformismo pode aparecer alguém interessante em sua vida, especialmente se você tem amigos cupidos que lhe ajudem a viver os trechos da bela canção do Vinícius e Jobim – “porque tu me chegaste sem me dizer que vinhas e tuas mãos foram minhas com calma. Porque foste em minha alma, como um amanhecer, porque foste o que tinha de ser”.

 

Post Tagged with

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.