O QUANTO EU TE AMO?

Você acha que é possível medir o tamanho do amor que sentimos por alguém? Há como precisar o quanto a presença do outro nos torna uma pessoa melhor, nos faz mais feliz, nos renova e nos transforma? Provavelmente muitas pessoas diriam que não, mas os enamorados e as crianças diriam que sim. Eles brincam e estabelecem padrões mensuráveis para retratar como é grande o seu amor, tentam dar concretude em algo que é sentimento com a intenção de demonstrar o tamanho e a importância do ser amado em sua vida e conseguem: o sorriso de felicidade aparece no rosto de quem ouve uma declaração de amor.

As crianças costumam buscar no seu universo de referência objetos e imagens que retratem essa intenção: “eu te amo do tamanho desse edifício”, “do tamanho dessa parede”, “do tamanho do céu, da terra e do mar” ou abrem os bracinhos para tentar expressar esse tamanho e dizem “um tantão assim”. Já os adultos, podem se utilizar de conceitos simbólicos como “eu te amo pra sempre”, “eu te amo a perder de vista”, “meu amor por ti é infinito”, “eu te amo absurdamente” e,  mais importante do que qualquer forma ou maneira, é expressar e declarar esse amor por alguém.

O AMOR NUTRE

Nós psicólogos, em nossos consultórios, ouvimos com frequência o desabafo de pessoas adultas que se ressentem de nunca ter escutado de seus pais uma declaração de amor e nem se sentiram valorizados por eles. Relatam que sonhavam tanto em ouvir um “eu te amo”, que percebessem que eram valorizados, acolhidos e amados pelas pessoas mais importantes das vidas deles e, como não perceberam e nem sentiram esse amor, cresceram com a certeza de que não mereciam ser amados. Esses pais, provavelmente, não aprenderam que amar e falar de amor são essenciais para que os filhos cresçam e se desenvolvam de forma saudável, eles não valorizam o que não tiveram.

A família é referência primária na vida de todos nós e, com certeza, falar “eu te amo” não é a única forma de se demonstrar amor (e essa fala nem sempre é verdadeira), quase sempre, atitudes valem mais do que palavras. Demonstrar carinho, afeto, valorização, cuidado e acolhimento reforçam a existência de laços emocionais. Promessas, falas e intenções não bastam, o amor é sentido nas atitudes!

DEMONSTRE SEU AFETO

O exercício do amor, por nós e pelos outros, nos tornam pessoas melhores. Demonstre seu amor pelas pessoas, não economize carinho e aconchego, diga e demonstre o quanto elas são importantes na sua vida. Tem gente que quando perde alguém, fica se lamentando e se culpando por não ter falado como era grande o seu amor, por não ter partilhado tantas coisas que devia ter feito e não dá mais para fazer isso pessoalmente, só nas preces. Então, o que você está esperando pra declarar o seu amor e validar afetos?

As pessoas que se sentiram amadas pelos pais, quando adultos, tem mais facilidade em viver o amor em todas as suas formas. O amor é doação, mas é também uma troca de qualidades. Ame quem merece fazer parte da sua vida! Ame quem lhe ama, quem lhe respeita, lhe acolhe, lhe valoriza e se importa com você. E como o exercício do amor sempre envolve outras pessoas, para que não provoque dor e sofrimento, reflita sobre o que poeticamente nos disse Vinícius de Moraes – “Pois se por tanto dar me fiz engano, melhor fora que eu desse e recebesse para viver da vida o amor sem dano”.

E por falar em amor, declaro para que todos saibam que amo muito a Naninha, minha mãe e meus filhotes, Cacau, Clara, Brício, Pablito e Cella. É isso!

Post Tagged with

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.