O CORPO FALA

Se você acredita que a fala é a mais verdadeira forma de comunicação está muito enganada (o). A linguagem corporal (aquela que não é verbal) domina 90% de todo processo de comunicação e revela os verdadeiros sentimentos e emoções através dos gestos, das posturas corporais, das expressões faciais, dos movimentos dos olhos e das mãos e da proximidade entre quem fala e quem ouve. A comunicação efetiva é muito mais do que escrever e falar, é expressar com o corpo o que estamos sentindo; o discurso pode até ser politicamente correto, mas pode não ser verdadeiro!

 “Os desejos do corpo inscrevem-se na linguagem. Falar é exprimir o corpo, pois a palavra traz a marca do corpo vivenciado” (Amado Guité) e é a expressão do que pensamos e sentimos. A verdade é que falamos mais com o nosso corpo do que com as palavras e, muitas vezes, ele denuncia o que a nossa fala tenta esconder: o discurso pode ser falso, irreal e manipulador, as palavras podem não expressar o que sentimos e nem demonstrar intenções verdadeiras, mas o corpo quase nunca mente e denuncia o que tentamos disfarçar e esconder.

Os olhos, então, são absurdamente reveladores, por isso são considerados o espelho da alma. Assim, a beleza da vida está nos olhos de quem olha; muitas vezes, a gente vê o que deseja ver. Tudo o que a gente percebe, incorpora e transforma em verdade é filtrado pelos seus valores e desejos e isso, também, se reflete na forma como a gente percebe as outras pessoas. Vejam bem, se a gente prestasse muita atenção no que nos incomoda nos outros, teríamos uma melhor compreensão de nós mesmos, pois é através da relação com os outros que a gente se reconhece e percebe as nossas próprias dores e delícias.

O contexto em que as coisas acontecem na vida da gente também é muito importante para podermos entender a realidade, por exemplo, o estresse costuma alterar a nossa fisionomia, o tom da voz (o músculo das cordas vocais fica enrijecido em momentos de pressão), a velocidade e o volume da fala. Assim, tentar perceber as circunstâncias da vida (da nossa vida e da pessoa com quem estamos nos comunicando) no momento em que estamos interagindo com o outro é muito importante para que possamos interpretar as mensagens, inclusive as não verbais.

Nosso corpo e nossa face revelam muito sobre um mundo inconsciente que ocupa a maior parte do nosso cérebro, controla quase tudo o que fazemos e foge do controle da racionalidade. Como a vida acontece nos detalhes, é preciso ficarmos atentos aos detalhes para que a comunicação ocorra dentro de um parâmetro de verdade. Alguns sinais são de mais fácil identificação como: colocar a mão na boca, apertar os lábios enquanto fala, pode ser indicador de mentira; sustentar o olhar enquanto fala com o outro costuma representar verdade; passar a mão nos cabelos enquanto conversa com alguém demonstra interesse na outra pessoa…

Mas, bom mesmo é quando a gente se entende com o outro através do olhar. Como poetizou Fernando Pessoa, “Há tanta suavidade em nada dizer e tudo se entender”. Não existe cumplicidade e afinidade maior do que se entender através dos olhos. É isso!  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.