O ciúme é o perfume do amor?

O CIÚME É O PERFUME DO AMOR?

O ciúme é uma emoção humana extremamente comum, senão universal. Na verdade todos nós sentimos ciúmes, mas de formas diferentes: tem aquelas pessoas que sentem e não falam nada, tem as que reclamam e choram, tem as que ligam a toda hora, tem as que fazem escândalos e jogam o que tiver na mão… mas, tem algo em comum em todas elas – o medo de perder o objeto do seu amor, de ser abandonado e de não ser mais amado.

Assim como a dor, o ciúme sempre indica que algo vai errado. É um sinal de alerta mostrando que algo não vai bem no relacionamento e funciona como um lembrete para se cuidar bem da relação e do outro.

É “NORMAL” SENTIR CIÚME?

 A monogamia é uma norma social, assim sendo, o ciúme é aceitável por ser considerado uma forma de proteger a família e zelar pela moral. Sua manifestação é considerada como um sinal de amor e cuidado. Roberto Carlos deixa claro como funciona esse sentimento numa canção de Luiz Ayrão:

“Se você me diz que vai sair

Sozinha eu não deixo você ir

Entenda que o meu coração

Tem amor demais meu bem e essa é a razão

Do meu ciúme, ciúme de você…”

O ciúme tido como “normal” é passageiro, baseado em fatos reais e não deixa seqüelas. É comum as pessoas se sentirem enciumadas em situações em que se sintam excluídas, como quando o parceiro está dando muita atenção a outras pessoas, que não necessariamente precisa ser do outro sexo, a gente pode ter ciúme dos amigos do parceiro, colegas de trabalho. Até na família, a rivalidade entre irmãos para conseguir a tenção dos pais ou o nascimento de um novo irmãozinho costuma ser causa freqüente de ciúme.

CIÚME É PROVA DE AMOR?

 

O ciúme é tido como demonstração de amor. Em pequenas doses sinaliza para o outro o amor e sua preocupação em defendê-lo. A vinculação do ciúme com o amor é tão grande, culturalmente estão tão relacionados, que a ausência do ciúme termina por deixar o parceiro inseguro, com sensação de não ser amado. A indiferença e a rejeição são sentimentos que ninguém lida bem.

Ciúme é prova de amor por quem? É um sentimento voltado para si mesmo e não para o outro, é o nosso medo de perda do amor ou da nossa exclusividade sobre ele.

MAS EU ME MORDO DE CIÚME

Você se lembra da personagem da Giulia Gam na novela Mulheres apaixonadas (a Heloísa – e que ficou popularmente conhecida por Heloquisa), que perseguia o marido, fazia escândalos, desconfiava de tudo e de todos… Você já leu Otelo de Sheakespeare, onde o ciumento Otelo é induzido por Iago a crer na traição de Desdêmoda e acaba matando-a?

Pois é, essas coisas também acontecem na vida real! O ciumento obsessivo tem uma sensação permanente de instabilidade e insegurança em relação a si e ao outro – a possibilidade de traição e abandono estão sempre presentes. As desconfianças são vividas como certezas. Há necessidade de ter posse do corpo, das atitudes e do pensamento do parceiro, ou seja, de possuir o outro.

O medo e a angústia corroem a alma de quem tem um ciúme exacerbado.

Os portadores de ciúme patológico vivem provocando situações a fim de que possam concretizar suas suspeitas de traição: realizam visitas surpresas em casa e no trabalho dos seus parceiros, vasculham e-mails e celulares, controlam suas saídas, o seguem na rua… Muitas vezes, para evitar problemas, os alvos do ciúme terminam escondendo fatos e presentes recebidos e quando o outro descobre fica caracterizado o crime!

O ciumento obsessivo precisa de constante reafirmação de seu amor próprio e do amor do parceiro. Sua auto-estima é muito baixa e vê o parceiro como alguém superior. O amor do outro é sempre questionado e o medo da perda é constante e na conduta, muitas vezes, termina sendo responsável pelo término do relacionamento. Tudo isso é decorrência de um comprometimento emocional e precisa de um tratamento terapêutico. 

CUIDE BEM DO SEU AMOR

Atualmente, as preocupações com a fidelidade não são absurdas e, muitas vezes, são bastante plausíveis.

Que me perdoe o nosso querido poetinha Vinícius de Moraes para quem o ciúme é o perfume do amor. Existem outras formas mais adequadas de se demonstrar amor – acolhendo, valorizando e respeitando. O verdadeiro amor só cresce na liberdade!

Agora, se você se sente inseguro e com ciúmes, o ideal é poder falar sobre isso com a pessoa amada, e fazer um “contrato” do que é permitido e aceitável no relacionamento. Se você é vítima do ciúme do seu parceiro, sinalize o que está acontecendo, na maioria das vezes o outro acaba não percebendo o quanto a sua conduta está pondo em risco a relação.

Cuide bem do seu amor, seja quem for!

Post Tagged with

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.