O CICLO DA DESCONFIANÇA

A descoberta de uma traição costuma provocar uma crise séria na relação e pode terminar com corações partidos ou com renovações de vínculos. Apesar de ser um momento muito doloroso na vida de um casal, a possibilidade do término e da perda e o consequente arrependimento do parceiro que traiu, pode levá-los a reavaliar o relacionamento, redefinir novos propósitos de uma vida a dois, permitindo reconstruir a relação em bases mais amorosas. Tudo é possível acontecer desde que os dois se proponham a de fato tentar recuperar a intimidade, a cumplicidade, o afeto e o tesão.

Também pode ocorrer uma separação, caso a pessoa que foi traída considere muito grave as circunstâncias em que tudo aconteceu e não consiga perdoar a deslealdade do parceiro ou ainda, o mesmo pode estar intensamente apaixonado por outra pessoa que nem se deu muito ao trabalho de tentar “disfarçar e esconder o que não dava mais para ocultar”… Seu desinteresse pela vida a dois era tão visível, assim como suas mudanças de hábitos e atitudes e, sendo assim, a separação pode representar uma libertação para quem deseja sentir-se livre para viver uma nova paixão.

O PRESENTE SE MISTURA COM O PASSADO

Em qualquer circunstância, havendo separação ou renovação de vínculos, a desconfiança e o ciúme podem ser variáveis difíceis de serem superadas pelo antigo ou pelo novo casal. Em permanecendo a relação, é natural que a pessoa que foi traída se sinta insegura e fique presa por um tempo em uma ansiedade vinda do passado e, por conta disso, tenha receio de que o parceiro ainda mantenha contato com a outra pessoa ou que se envolva em novos relacionamentos. Perdoar não significa esquecer, muito menos elimina receios, medos e desconfianças.

No caso de haver separação, a nova pessoa escolhida, mesmo sentindo-se valorizada por ter sido priorizada pelo parceiro, poderá não se sentir tão tranquila nessa nova relação, pois o fantasma da traição pode permanecer e se traduzir em algo do tipo ”se  irá ou não acontecer o mesmo comigo?” Ninguém garante! A vida não dá certezas para ninguém, principalmente no que diz respeito a relacionamentos amorosos.

É PRECISO SAIR DA TRIANGULAÇÃO

A situação pode ser ainda mais complicada se as duas pessoas que se conheceram, se apaixonaram e se relacionaram estivessem ambas em relacionamentos anteriores  estáveis, ou seja, mantiveram um relacionamento paralelo até tomarem a decisão de se separarem para tentar a nova vida juntos. Por experiência clínica, sabemos que, na maioria das vezes, as pessoas só conseguem se separar quando estão envolvidas ou apaixonadas por outra pessoa. Mesmo que vivam relacionamentos desgastados, dificilmente as pessoas se separam por não se sentirem felizes e, dessa forma, o motivo da separação passa a ser o outro, ficando difícil carregar o peso dessa responsabilidade, o que faz com que muitas relação novas terminem depois de um breve tempo.

É claro que também pode acontecer o contrário, um relacionamento que começou em bases duvidosas dar certo e as pessoas viverem esse amor de forma plena, de construírem um relacionamento baseado no entendimento, na lealdade e no respeito, mas isso irá depender do interesse real em construírem uma nova história de vida e, acima de tudo, que consigam superar o fantasma da desconfiança e construir um relacionamento baseado na lealdade e na ética, o que, por certo,  não conseguiram viver nas relações anteriores. Afinal de contas, como disse o inesquecível Tom Jobim “As pessoas vão se apaixonar novamente, o romance nunca há de morrer”.

Post Tagged with

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.