“NO MEIO DO CAMINHO TINHA UMA PEDRA”

                  A vida, esse espaço em movimento, é um bem muito precioso para todos nós e apesar das dificuldades inevitáveis pelas quais todos nós passamos, o nosso desejo de viver com saúde, paz e felicidade é o que nos direciona a caminhar no sentido de fazer as coisas acontecerem e, assim, a vida valer a pena. Mas como nem tudo são flores, em vários momentos nós temos que lidar com as circunstâncias desfavoráveis da vida, com as mágoas, com as perdas, com os obstáculos que como pedras ficam no meio do caminho e precisam ser transpostas.

Existe uma tendência do ser humano de se acomodar a determinadas situações. Assim como tem a zona de conforto, aquele lugar ou jeito em que a gente se sente bem, muitas pessoas também terminam criando uma zona de acomodação em que mesmo ela tendo clareza de perceber e entender que tal fato, situação ou pessoa não estão lhe fazendo bem, às vezes até lhe roubando a paz e a tranquilidade, permanecem presas a essas pessoas em vez de reunir forças, procurar ajuda para se libertar da prisão que elas mesmas criaram. Você já se envolveu, algum dia, em uma situação assim?

NEM SEMPRE DÁ PRA DESVIAR

                Quando as pedras do meio do caminho são pequenas, elas não atrapalham a nossa caminhada, quando muito fazem os nossos pés doerem e aí, ou a gente as coloca pro lado ou passa por cima. Com as pedras médias a gente também pode fazer o mesmo, já as grandes, não dá para ignorar a presença delas… quando é possível dar a volta e contorná-las, essa pode ser a melhor saída, mas se não houver espaço para que você possa dar a volta em torno delas, respire fundo, conscientize-se que não dá pra ignorar a presença delas e encare de frente essa dificuldade.

Às vezes, o peso da pedra é tão grande que não dá para retirá-la sozinha, aí só pedindo ajuda aos parentes, aos amigos e aos profissionais que sejam especialistas nesse tipo de pedra. O fundamental é você não  ficar sentado à beira do caminho vendo o tempo passar, apreciando o estrago que está acontecendo na sua vida. Ter atitude é necessário para que você se desloque da zona de acomodação ou do conformismo para gerar uma nova e positiva zona de conforto. Seja autor do script da sua vida e não um mero expectador.

VIVER COM DIGNIDADE

                Sem dúvida, há um limite pra dignidade de cada um de nós e esse limite é determinado pelo tamanho do sofrimento, da subserviência, do desamor, da compaixão que as outras pessoas sentem por nós, pela ausência da autoestima e da paz em nossas vidas. Quando as pessoas que nos amam passam a sentir “pena” por estarmos vivendo uma determinada situação, mesmo que por respeito ou delicadeza nos ouvem, nos acolhem e não nos digam nada, é hora de revermos nosso posicionamento diante da vida.

Não se perca de você! Não se afaste das pessoas que você ama e que também lhe amam, seja por vergonha, por medo da cobrança ou por imposição de quem está se relacionando com você. Aceitar ficar isolado de quem pode lhe ajudar a crescer e viver em paz e com dignidade, pode ser uma estratégia de dominação, do tipo “dividir para reinar”. Se você não está feliz e satisfeito com a vida que você leva, não tenha medo de mudar, de se permitir viver o novo, de recomeçar sempre que necessário. É maravilhoso olhar para trás e perceber como diz o poeta Drummond que “tinha uma pedra no meio do caminho. No meio do caminho tinha uma pedra…” e que você a removeu.

 

Post Tagged with

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.