NÃO SE NASCE, TORNA-SE MULHER

Simone de Beauvoir nos ensinou essa verdade. Mas colocá-la em prática não é tarefa fácil, principalmente em uma sociedade caracterizada por  preconceitos e repleta de circunstâncias adversas. Nesse contexto é importante termos em mente que assumirmos alguns trabalhos,  antes reservados apenas aos homens,  não nos tornam perfeitas.  Ao conquistarmos um novo papel social passamos a dividir o nosso tempo entre a casa e o trabalho e, apesar de nos queixarmos da falta de tempo, conseguimos fazer tudo o que precisa ser feito. Não creio que as mulheres se rebelaram e fizeram uma revolução para serem perfeitas.  Não precisamos ser perfeitas, isso é coisa do divino. Precisamos,  sim,  ter exercido o direito de sermos reconhecidas e valorizadas no trabalho, no prazer, na  liberdade, na  realização de nossos sonhos e termos uma vida amorosa plena e feliz.

Mas que mulher você quer ser? A que vive de lembranças ou a que tem  um projeto de vida definido? Hoje as mulheres sentem-se mais jovens e produtivas do que as gerações passadas. Temos mais liberdade, somos mais realizadas profissionalmente e mais independentes. Isso nos torna mais seguras e, assim,  nos preocupamos  não só com o nosso corpo, mas também com o que se passa dentro dele. Também tivemos aumentado o grau de exigência dos nossos parceiros: Sabe aquele eu te amo sem emoção, o beijinho sem graça e o sexo burocrático, isso não nos basta. Queremos compartilhar emoções e responsabilidades.

         Tornar-se mulher é muito mais do que dividir nosso tempo entre a casa e o trabalho ou ser boa mãe e esposa. A independência  que conquistamos não é para travar uma  disputar com os homens mas, sim,  para sermos “companheiras”, para desfrutarmos de  uma vida de verdade e não de aparências. Se você acha que alguém roubou o seu sono ou impediu que você realizasse seus sonhos, saiba que esta responsabilidade é sua, não culpe outras pessoas. Brigamos para sermos livres, para não permitir que sejamos ceceadas.

Não fique presa ao passado, olhando para trás e se envergonhando de algumas escolhas da sua vida. Siga em frente! Não permita que a sua vida se torne uma fraude ou “uma vida mentida de um futuro imaginado”. Aprenda a se priorizar. Busque a companhia de pessoas interessantes e que acrescentem valor à sua vida. .Tenha tempo para nada fazer e para fazer tudo. Encontre graça e diversão em si mesma. Saiba argumentar seus desacordos e não silencie quando se sentir injustiçada e desrespeitada. Não viva de aparências, preencha sua vida com alegria e construa momentos inesquecíveis. Não aceite pouco da vida. Esteja certa de que você nasceu para ser amada e respeitada pela pessoa que estiver ao seu lado.  Não abra mão de  realizar seus desejos, que são absolutamente legítimos. E eles vão de ser respeitada profissionalmente a ficar em casa, desfrutando da companhia do marido e dos filhos. Para se tornar mulher você não precisa atingir a perfeição mas,  sim,  ter plenitude e sonhar sempre e cada vez mais.. Viver bem dá trabalho

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *