NÃO QUERO QUE NINGUÉM SAIBA!

O filósofo prussiano Immanuel Kant, nascido em 1724, considerado por muitos como o principal filósofo da era moderna, nos presenteou com tantos ensinamentos e reflexões, como esse pensamento que eu acho que deveria nortear a vida de todos nós – “Tudo o que não puder contar como fez, não o faça! Se há razões para não contar, há razões para não o fazer”. Se a gente pensasse nisso antes de fazer coisas que consideramos, pelo menos, eticamente duvidosas, com certeza teríamos motivos para menos arrependimentos na vida.

A nossa vida é repleta de histórias, de coisas que a gente viveu e que geram lembranças e, vejam bem, mais importante do que os fatos acontecidos é a forma como a gente se lembra desses acontecimentos. Existem fatos que a gente tem orgulho em lembrar e contar para os amigos, mas também existem coisas que a gente gostaria muito de esquecer que ocorreram e, principalmente que aconteceram com a gente – essa máxima, também se aplica aos outros, portanto, não comente, nem em tom de brincadeira, fatos acontecidos na vida de outras pessoas que sejam vexaminosos, pouco altruístas ou que os deixem envergonhados.

E você, como tem lidado com a sua vida? Você tem orgulho da pessoa que você é? Em tempos de pandemia, por questões de sobrevivência e de amor à vida (a nossa e a dos outros), deveríamos todos nós estarmos cumprindo um protocolo de saúde – usando máscaras; mantendo o distanciamento social para evitar a propagação do vírus; higienizando as mãos constantemente… ­–, parece que muitas pessoas já esqueceram que a covid-19 continua nos rondando e levando muitas pessoas a óbito.

Um dia desses, um jovem em consulta comigo on-line, me perguntou se todas as pessoas circulando pelas ruas sem máscaras já haviam pegado a covid-19, eu lhe respondi que achava que não e ainda lamentei o relaxamento delas com os cuidados exigidos pela pandemia e o que é pior, algumas delas estão hostilizando as pessoas que cobram o cumprimento das normas de segurança – viralizou nas redes sociais uma mulher flagrada humilhando um fiscal, em reportagem no Fantástico, a qual foi demitida pela empresa em que trabalhava por conta disso.

Respeitar valores, agir de forma ética na vida é essencial para uma convivência social saudável. Não produza fatos na sua vida que possam gerar arrependimento, tente refletir antes de agir. O que eu não posso contar, não por ser sigiloso e sim porque me envergonha, eu não deveria fazer. E, como somos humanos cometemos erros, o arrependimento só é verdadeiro se provocar mudança, se não houver mudança de conduta é porque não houve arrependimento verdadeiro, talvez tenha sido apenas um discurso vazio para obter o perdão de alguém.

Nós estamos em julho, em pleno verão paraense, em que merecidamente e culturalmente costumamos viajar e aproveitar nossas praias, rios e igarapés. Porém, os cuidados precisam ser redobrados durante esse mês! Outros julhos virão, precisamos nos proteger e contribuir para que essa pandemia acabe e que possamos chegar a agosto sem perdas familiares e com vida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.