MÚSICA: UMA COMUNICAÇÃO AMOROSA

A música está presente em todas as culturas humanas. Nós, brasileiros, somos o País do carnaval, com toda nossa rica musicalidade, transpirando sensações e sentimentos (nós somos um povo rítmico). A música é diversão; é cultura; é fonte de prazer; é ditadora de regras e modas; é alívio pra dor; é estímulo pra criatividade; é possibilidade de denúncia social; é libertação; é refúgio para as dores da alma; é companheira na alegria e na solidão; é descompromisso; é calmaria; é êxtase… e muito mais. Até os bebês adoram música. Ao ouví-la, se balançam, batem palmas, sorriem, dão gritinhos e dessa forma já começam a celebrar a vida!

Desde a antiguidade se reconhece o poder da música no comportamento humano. Os antigos chineses acreditavam que ela possuía poderes mágicos; os indianos achavam que ela estava diretamente ligada ao processo da vida humana. Até o Século XVII, havia a crença de que  o universo fosse um grande instrumento musical e que cada um dos planetas conhecidos (eram 7) correspondia a uma nota musical. No século XX, descobriu-se que a música clássica melhora o funcionamento cerebral, porque tem o poder de deixar as pessoas relaxadas e estimuladas ao mesmo tempo, passando a ser utilizada para fins terapêuticos em hospitais, clínicas, spas, consultórios… como forma de aliviar a dor e melhorar traumas.

ONDAS SONORAS

Ao ouvirmos uma música, as ondas sonoras, quando chegam ao ouvido, se transformam em substâncias químicas e impulsos nervosos, que registram em nosso cérebro os sons que ouvimos. As raízes dos nervos auditivos possuem mais ligações do que qualquer outra parte do corpo, por isso, todas as funções do nosso organismo são influenciadas pela música. Ritmos e sons alteram os batimentos cardíacos, a respiração, o fluxo sanguíneo, a digestão, o estado de ânimo, a musculatura corporal e o estado emocional…

Ouvir uma boa música ou ter uma boa noite de sexo ativam as mesmas regiões cerebrais associadas  ao prazer e ao bem estar (mas música não substitui sexo), por isso é tão bom transar ouvindo música. Tenha cuidado ao escolher o ritmo, pois, de um modo geral, a velocidade da música fará com que se faça mais rápido o que se está fazendo e o melhor mesmo é você fazer sexo sem pressa, num local aconchegante, com a pessoa escolhida, ouvindo Bolero de Ravel… Melhor é impossível!

DE CANÇÃO EM CANÇÃO

Ouvir música costuma proporcionar uma sensação de bem-estar e nos ajuda a enfrentar os desafios do dia-a-dia. Ouça música sempre! Não importa o tipo de música que você ouve, desde que goste. Geralmente selecionamos nossa escuta musical de acordo com o nosso estado de espírito: se estamos tristes optamos por músicas lentas, se animados músicas rápidas – saiba que o indicado, se você estiver de baixo astral, é que ouça música agitada e se possível dance, isso vai ajudá-lo a melhorar seu ânimo. Eu sempre tenho música ao meu lado, pois escolhi viver no tempo da delicadeza, música e poesia. Ouça música permitindo que ela penetre em você, flutue pela sua alma e o preencha de emoções… De canção em canção vivemos nossos afetos através da música. “Olhe atentamente a pessoa que está ao seu lado e você irá descobrir, olhando bem no fundo, que há uma melodia brilhante no olhar”. Escute-a! Descubra a magia de tocar sua vida como se ela fosse uma música, com emoção, suavidade e vibração. E como, poeticamente nos diz Drumonnd, que a sua vida seja “… uma canção que faça acordar os homens e adormecer as crianças”. Tenham todos um Domingo repleto de música

Post Tagged with

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.