MEU FILHO ESTÁ MUITO AGRESSIVO

Com muita frequência ouço a reclamação no consultório ou de amigos acerca do comportamento agressivo de seus filhos; eles relatam episódios de violência ocorridos com os colegas na escola, dizem que percebem a mesma conduta na interação com os irmãos e com outras crianças do convívio social, às vezes até com os adultos, especialmente com as babás e demais empregados da casa. É fato que a agressividade é maior nos meninos do que nas meninas, que é comum em todas as culturas e está presente desde os primeiros anos de vida, mas os excessos precisam ser combatidos para que a criança possa se desenvolver de uma forma saudável.

O comportamento agressivo da criança nasce da combinação de fatores familiares, individuais e da interação com o ambiente. Os pais não podem impedir que os filhos tenham contato com a violência presente nas ruas e na vida, mas podem controlar o que acontece dentro de casa e proporcionar para as suas crias um ambiente familiar amoroso e acolhedor, no qual as pessoas se respeitam, as discussões ocorrem de forma amena, o carinho se faça presente e as crianças sejam atendidas em suas necessidades de amparo, proteção, valorização e afeto.

MODELOS PARENTAIS

Quando os pais apresentam comportamento agressivo e permitem condutas de violência entre os irmãos, isso costuma favorecer a repetição de condutas agressivas por parte dos filhos, já que o modelo parental é referência de identificação e aprendizagem. Assim como atitudes muito repressivas por parte dos pais que não permitem que os filhos se confrontem, briguem ou demonstrem a sua raiva por algo que tenha acontecido pode exceder a capacidade da criança de se controlar, o que provavelmente entrará em choque com a tolerância paterna e resultará no estabelecimento de laços emocionais muito frágeis entre eles.

O comportamento agressivo é comum em crianças desde a fase pré-escolar, tende a diminuir até a adolescência, quando ressurge com mais intensidade, funcionando como fator de sobrevivência e autodefesa, o que é absolutamente natural e necessário. O que não deve ser tolerado em nenhuma circunstância são os atos de crueldade – resposta emocional de indiferença e prazer com o sofrimento e a dor dos outros. Inclusive, os pais devem ficar muito atentos na convivência das crianças com os animais, pois perversidade no trato com os bichinhos pode ser indicativa de traços patológicos.

O QUE PODEMOS PERMITIR

Com os índices de violência no mundo cada vez mais alarmantes, os pais costumam ficar em dúvida sobre como lidar com os games, filmes e programas na televisão: o que os filhos podem assistir? Então, quando as brigas e disputas ocorrerem num clima de lealdade, sem atos de covardia e crueldade, mesmo que resultem em morte, podem ajudar a criança a aprender a lidar com a própria agressividade. Os jogos e filmes condenáveis são aqueles em que o bandido se mostra perverso, tortura, mutila, mata e não recebe nenhum tipo de punição por isso, o que leva as crianças e jovens internalizarem que tudo é possível e permitido.

No mais, o melhor antídoto contra a agressividade e a violência é o carinho, a aceitação e o amor. Assim, oriente seus filhos que crueldade e violência física são intoleráveis; aproveite os momentos em que eles exponham sua perversidade e estabeleça limites; participe da vida deles, procure saber o que eles pensam acerca da violência presente na sociedade e das dores do mundo; controle as condutas indesejáveis que eles tenham com conversas e castigos, bater não resolve nada, pois violência gera violência; ensine-os a respeitar as diferenças e a participarem da construção de um mundo mais fraterno e solidário.

Post Tagged with

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.