LUGAR DE LIXO É NO LIXO

      Ontem Belém fez 397 anos e, quando alguém faz aniversário, merece ganhar um presente e não há mimo maior do que cuidar com carinho de quem nos abriga e acolhe ao longo da vida. Cuidar de Belém não é só tarefa do prefeito, deve ser dever de todos nós. Rotineiramente, nos deparamos com cenas deprimentes – como pessoas, jogando pela janela dos ônibus e carros(inclusive os carros de luxo) em plena rua, restos de lanche,garrafas vazias,papel de bombom…até côco! Fico imaginando como deve ser a casa dessas pessoas… Infelizmente, esta não é uma cena isolada; é mais corriqueira do que deveria ser…

O turista quando vem a Belém se encanta com a mistura de aromas, cores, sons, sabores, amores e com  a nossa afetividade,  mas reclama da sujeira; se espanta com a enorme quantidade de pixações, com a falta de cuidado com o patrimônio público e com o cheiro de xixi na rua (pode prestar atenção na quantidade de pessoas que resolve regar nossas frondosas mangueiras urinando nelas). Vamos cuidar de Belém como se cuida de um amor. Me inspiro nos versos de Alcyr Guimarães ao declarar seu amor por Belém “…  por cima de mangueiras e telhados, tu me finges um cuidado de quem quase me amou. Eu digo que tu tens jeito de valsa, que ainda não consigo terminar. Mas tarde, como antigos namorados, em qualquer dia de chuva te convido pra dançar.” Vamos entrar na dança da preservação e cuidado  com a  nossa cidade.

POR UMA IDENTIDADE CIDADE

      Em Belém, a beleza está em toda parte. Nossa gastronomia é inigualável, com ingredientes mágicos que fazem acordar o corpo; as mangueiras emolduram as ruas e formam um túnel romântico; a chuva boa e criadeira, que cai o ano inteiro, lava nossa alma e prepara a terra para o crescimento de frutas exóticas e flores tropicais; as bandeiras vermelhas enfeitam a cidade demarcando os pontos de venda de açaí; o sol aquece o nosso coração e o calor atrai as pessoas para o amor; a Baia do Guajará  nos banha e nos encanta com botos e iaras; Nossa Senhora de Nazaré (nossa Nazica) nos protege e nos abriga com seu divino manto.

 

Nós somos um povo alegre, festeiro, que gosta de jogar conversa fora, compartilha risos e afetos, vive uma solidariedade fraterna e acolhe as pessoas na sua casa, não economizando alma, carinho e aconchego. Belém é a nossa casa, vamos cuidar melhor dela: LUGAR DE LIXO É NO LIXO. Vamos aprender com os adolescentes que vão ao cinema, comem bombom e guardam o papel na bolsa para jogar no lixo, lá fora. Incomode-se  com a sujeira nas ruas ! Vamos  exercer uma cidadania  responsável. Vamos valorizar a saúde, nos comprometendo com a limpeza e preservação de nossa cidade. Vamos mudar hábitos a partir da casa da gente.

SÓ PROTEGEMOS O QUE AMAMOS

      Nós paraenses, somos abençoado com tantas riquezas naturais e tanta beleza a nossa volta. Acho que a gente podia se comprometer com a construção de uma identidade cidadã, de valorização de nossa cultura (vamos aprender com os baianos,eles são fantástico nisso ). Vamos resgatar nossa auto estima, cuidando, preservando  e valorizando o que é nosso. Há alguns anos atrás,  havia uma campanha institucional que tinha como personagem o sujismundo e o slogam era  fantástico “povo desenvolvido é povo limpo”.

“Não jogue lixo no chão. Chão é pra plantar semente, que dá o  bendito fruto pra alimentar a nossa gente” já dizia Vital Farias . Demonstre seu amor por Belém cuidando e protegendo nossa cidade. Mantenha Belém limpa!

Post Tagged with

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.