INSATISFAÇÃO ROMÂNTICA

Algumas pessoas a quem atendo e outras que conheço me falam de uma insatisfação romântica crescente. Não importa muito se o motivo é a urgência da vida moderna; o progresso tecnológico que exige de todos cada vez mais praticidade; o ambiente familiar em que se é criado ou o jeito de ser de cada um, mas está se perdendo o romantismo na dinâmica relacional dos casais e, principalmente as mulheres (não exclusivamente), se ressentem muito com a falta de romantismo de seus parceiros.

Ser romântico é ter compromisso com as emoções, não com as obrigações; é saber dar e se entregar; oferecer alegria, carinho e respeito ao seu amor; é mostrar-se curioso com relação ao outro para poder surpreender; é valorizar a pessoa que está ao seu lado; é celebrar momentos; é cultivar o enamoramento; é acrescentar detalhes na vida; é entender o mundo interno do parceiro; é dizer eu te amo com a alma; é viver em comunhão com a natureza ; é saber seduzir, encantar e demonstrar seu amor de várias maneiras.

O MEDO DE PARECER RIDÍCULO

É muito mais difícil para os homens do que para as mulheres demonstrar sentimentos: mostrar-se sonhador e terno, os faz sentirem-se ingênuos, tolos, ridículos ou até mesmo arranhados em sua masculinidade. Por isso, o romantismo termina sendo muito mais uma cobrança das mulheres ou coisa do passado “do amante a moda antiga” ou, como diz Lulu Santos, em extinção “talvez eu seja o último romântico, dos litorais desse oceano atlântico”.

Na verdade é justamente o contrário: um homem romântico é um valente, um lutador, alguém que pensa que “hay que endurecerse, pero sin perder la ternura jamás”. É alguém tão especial que vê a vida de um jeito muito simples; que foge dos preconceitos; que é capaz de chorar e se emocionar; que sabe como ninguém tratar uma mulher; que anda abraçado na rua ou caminha de mãos dadas; que está sempre buscando um contato físico, mesmo quando está dirigindo o carro, vendo televisão… ; que pontua a história amorosa com música e poesia, que percebe a necessidade de um colo tanto pra dar como para receber;  que consegue transformar momentos comuns em únicos e que vê no romantismo uma forma de lutar contra o desencantamento da vida e de cultivar o amor. Bom, este é o sonho de consumo amoroso da maioria das mulheres  e se os homens chegarem ao menos perto em romantismo e sensibilidade, já estarão possibilitando uma vida com enamoramento para os dois .Que nós saibamos corresponder e merecer um amor assim.

PENSAR COM AMOR NO AMOR

O romance está no desejo de cada um de nós, (homens e mulheres) de olhar amorosamente para o outro. É muito mais do que sair para jantar nas datas especiais, mandar flores (que a gente encomenda até pelo telefone), dar presentes ou ter gestos de cavalheirismo (abrir porta do carro, puxar a cadeira…). Romance exige envolvimento e investimento pessoal; doação e entrega; grandeza de alma para preservar a sua individualidade e permitir a do outro; pensar com amor no amor.

Nem sempre relações duradouras são indicadores de amor e felicidade. Relacionamentos muitas vezes acabam quando acaba o romance. Não permita que a rotina ou o desamor se instale no seu relacionamento e na sua vida, deixando que o romantismo fique esquecido com a correria do dia-a-dia. Deslize para perto do coração do seu amado, enfeite a alma dele e a sua com flores e lhe faça um pedido: “… Me dá um beijo, então. Aperta a minha mão. Tolice é viver a vida assim, sem aventura… Deixa ser pelo coração. Se é loucura então melhor não ter razão… “. Tenham todos um romântico domingo!

Post Tagged with

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.