“HAJA HOJE PARA TANTO ONTEM”

 

O ser humano é totalmente dependente ao nascer, não sobrevive sem os cuidados necessários. Aos poucos, mesmo sem falar, o bebê vai aprendendo a se comunicar com as pessoas a sua volta, assim como também os adultos aprendem a entender aquele serzinho que mobilizada tanta atenção e cuidados, faz o tempo e o espaço se modificarem como num passe de mágica. E assim, no aqui e agora, os laços emocionais e relacionais vão sendo construídos, influenciando de forma decisiva a construção de nossa individualidade e o nosso caminhar na vida.

Nossas primeiras relações de afeto, construídas a partir dos contatos com pai, mãe, familiares e cuidadores, nos marcam psiquicamente e terão muita influência ao longo de nossas vidas, interferindo em nossas escolhas amorosas e na forma como nos relacionamos com as pessoas e com o mundo. Uma criança que foi criada com carinho e amor, vai se vincular muito mais facilmente  de forma afetuosa com os outros, vai construir histórias duradouras de amizade, vai priorizar o contato com pessoas que a valorizem e respeitem, vai acreditar em sua capacidade de realizar coisas produtivas e vai se perceber merecedora de amor. Na vida, a gente tem o que julga merecer!

VÍNCULOS AFETIVOS

Vínculo é tudo aquilo que nos une e nos mantém próximos de alguém. São os nossos vínculos afetivos que determinam nossa vida psíquica e emocional, pontuam as nossas memórias e nos movimentam na vida – o nosso cérebro seleciona o que vai ser lembrado por nós, o que vai ser deletado de nossa memória e o que vai ficar armazenado em nosso inconsciente. Assim, como as nossas memórias são carregadas de emoção, elas vão influenciar nosso movimento de aproximação, de afastamento ou de indiferença com relação às pessoas.

Não dá para fugir, de alguma forma as nossas emoções estão ligadas às experiências já vividas por nós, interferem em nossos desejos do presente, do aqui e agora e também se projetam em nossos sonhos de futuro. Tudo o que acontece na vida da gente e que é percebido de forma significativa produz uma consequência e determinam vínculos; é claro que a gente pode superar traumas, resignificar acontecimentos e se dispor a começar uma história de outra maneira, mas nem sempre isso é fácil ou possível, tem coisas que acontecem e que deixam cicatrizes profundas na alma.

O MUNDO É RELACIONAL

Então, a nossa história de vida é construída tendo nossas memórias como referência e como nossas lembranças são determinadas pelas emoções, mais importante do que qualquer coisa que tenha acontecido é a forma como nos lembramos do que aconteceu. São elas, as memórias, que interferem ou determinam os vínculos afetivos e psíquicos que construímos na vida e sendo assim, o futuro e o presente estão sempre ligados ao passado e, como é mais fácil repetir histórias do que criar novas, devemos ficar muito, mas muito atentos à qualidade dos vínculos que estamos construindo em nossas vidas.

De lembranças também se vive, mas o nosso referencial maior deve estar focado nos gestos e atitudes. É sempre bom lembrar que nada acontece por acaso; que existem motivações inconscientes que interferem em nossas escolhas, mas isso não elimina a nossa responsabilidade por todos os nossos atos; que bondade se aprende; que “amar se aprende amando”; que é preciso buscar a paz interior e cultivar o amor próprio para que possamos construir vínculos verdadeiramente amorosos e produzir felicidade.

Tem um poema do Paulo Leminski, que eu adoro, que diz: “Haja hoje para tanto ontem .E amanhã para tanto hoje. Sobretudo isso.” Pois é, e a vida segue!

Post Tagged with

One Response so far.

  1. Bia Leite disse:

    Amo de paixão esse texto. É simplesmente perfeito <3

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.