Filho, vem falar com a amiga da mamãe!

            Esta é uma cena temida por muitas crianças que, ao escutarem esse chamamento ou ordem da mãe, só faltam se enterrar de vergonha: se escondem atrás dela, abaixam a cabeça e não conseguem falar absolutamente nada. Muitas vezes, sem perceber o tamanho do constrangimento da criança, a mãe insiste – “que coisa feia, fala com a tia filho” e, caso eles permaneçam calados, elas costumam retrucar : – “não repare , é que ele tem vergonha de falar com as pessoas, parece um bichinho do mato”. Isso faz com que, além da vergonha e do constrangimento, a criança ainda tenha que lidar com a culpa por ter decepcionado o seu maior objeto de amor (a mãe), mais uma vez.

É claro que as mães acreditam que, dessa forma, estão ajudando os seus filhotes a vencerem a timidez, a se tornarem mais sociáveis e aptos a lidar com o mundo lá fora, que exige cada vez mais, de todos nós, habilidades de comunicação. Ledo engano! Não force seu filho a fazer coisas que são difíceis para ele, pois isso só provoca mais retraimento e acentua as suas dificuldades. 

A autonomia vem com a liberdade

            Os filhos de pais superprotetores têm mais chance de se tornarem adultos retraídos. Incentive a autonomia da criança nas pequenas coisas e valorize suas conquistas, pois assim elas se sentirão mais livres e mais seguras para lidar com as circunstâncias do cotidiano e também enfrentarão com mais tranqüilidade as situações novas. A autonomia só acontece com a liberdade.

A timidez só se tornará um problema se provocar sofrimento e impedir a criança de se relacionar com os outros e  de ter uma vida social. Preocupe-se somente se  seu filho se isolar do mundo, resistir em sair de casa, dificultar qualquer tentativa de aproximação com outras crianças, não brincar e não se divertir. É importante ele ter contato com diversas crianças, mas se ele escolher um ou dois amiguinhos para se relacionar, isso já é suficiente para que ele tenha um desenvolvimento sócio-afetivo-emocional saudável.

Vencendo a timidez 

Uma criança tímida não necessariamente irá se tornar um adulto retraído. Este é um traço de personalidade passível de ser mudado e o cotidiano proporciona muitas oportunidades para você incentivar seu filho a interagir com outras crianças. Sempre que possível, ajude-o a criar oportunidades de convivência incentivando-o a convidar os colegas para brincar em sua casa (no máximo dois de cada vez) e a visitar parentes e amigos; matricule-o em um esporte coletivo; permita que ele passe o dia na casa de parentes e de amigos; leve-o ao aniversário dos amiguinhos, mas não o force a participar das brincadeiras, caso ele não queira; não interfira quando ele estiver brincando com outras crianças, pois ele precisa desenvolver suas próprias formas de brincar… Incentive-o a fazer amigos.

Conviver em grupo é fundamental para o desenvolvimento da criança, mas ela não precisa estar sempre rodeada de amigos, se dar bem com todo mundo, sentir-se aceita e reconhecida por muitas crianças para ser feliz. Respeite os limites de seu filho e desde que ele se sinta bem com o seu jeito de ser, a timidez nunca será um problema, podendo até  tornar-se no futuro um atrativo em suas conquistas amorosas, pois as pessoas tímidas, além de possuírem um certo charme, costumam ser mais tranqüilas em seus relacionamentos afetivos.

Post Tagged with

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.