Filho mais velho, o peso da responsabilidade

A ordem de nascimento dos filhos costuma influenciar na forma como eles seram criados, intererindo no seu desenvolvimento emocional, no seu jeito de ser e na sua forma de lidar com o mundo. A chegada do primogenito(a) é esperada com um encantamento diferenciado e com eles aprendemos a ser pai e mãe: os criamos sem experiência, com um medo imenso de errar e com muitas atencões e cuidados

Dependendo da localização no contexto familiar, os filhos costumam ter um papel definido, com características próprias. Os primogênitos costumam ser responsáveis, obedientes, conservadores, sérios e obstinados nos estudos. De um modo geral, eles são desbravadores, brigam para ter liberdade, se sentem sobrecarregados com as exigências e delegações a eles impostas (ser referência para os irmãos e ter que assumir tarefas domésticas) e são os mais penalizados por ocasião das brigas com os menores. Além disso, vivem a angústia de ter que corresponder às expectativas dos pais, que projetam neles tantos desejos, o que gera culpa e ansiedade. 

REINADO DIVIDIDO

O filho único “reinava” sozinho na família, sendo depositário de todos os mimos e carinhos possíveis… até que, um dia, recebe a notícia de que seu reinado vai ser dividido com outro serzinho, que está dentro da barriga da mãe. Aí começam os problemas: ao nascer, o mais novo passa a ser o alvo das atenções, a receber visitas e presentes e, a mãe, antes só sua, se volta totalmente para o bebê. Ele se sente desamado, inseguro, enciumado, excluído e, por medo de perder o carinho e a atenção dos pais, rejeita ou até mesmo agride o bebê.

Pra evitar ou diminuir o ciúme do seu filho mais velho, (que até então era único) desde a gravidez, prepare-o para a chegada do irmãozinho, explicando-lhe cuidadosamente que mudanças acontecerão na vida de vocês; pegue o álbum de fotos dele (todo filho mais velho tem um) e conte-lhe de todos os cuidados que vocês (pais) tiveram com ele e que vai ser parecido com o maninho; combine com alguns parentes / amigos próximos que também o presenteie quando forem visitar o bebê;  peça ajuda e opinião dele, sempre que possível: que roupa eu coloco no seu irmãozinho, pegue a fralda pra mim…

A IMPORTÂNCIA DA ORDEM DE NASCIMENTO

Os filhos mais velhos têm a primazia de serem os primeiros (ansiosamente desejados e esperados), mas, pela total falta de experiência dos pais, terminam sendo educados com excessivos cuidados. Só com a chegada dos outros filhos é que aprendemos a ser menos rigorosos (que não acontece nada de mais se eles dormirem um dia sem tomar banho ou sem escovar os dentes…) e a distribuir atenções e afetos. Qualquer que seja a ordem de nascimento, as crianças precisam ser tratadas de forma compatível com a idade e com o nível de capacidade e maturidade. Caso contrário, poderão ter prejuízos no seu desenvolvimento emocional.

Com a ausência dos pais de casa, o poder do filho mais velho sobre os irmãos menores aumenta (especialmente se a diferença de idade for grande). Tenha cuidado com a delegação de poderes, pois seu filho pode se tornar mais autoritário que você. No caso do primogênito, a chegada de outro(s) filho(s) contribui para diminuir os exageros na sua criação, afinal de contas, filho é filho, não importa a ordem de nascimento. Nós pais, devemos assumir um compromisso de educá-los sem favoritismos e comparações, respeitando suas necessidades  e o seu direito de ser cuidado como filho. “Educar filhos é inundá-los de amor”.

Post Tagged with

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.