EU ME AMO!

                Amar e ser amada (o) é o sonho afetivo de consumo da maioria das pessoas, mas a condição para realizar esse sonho de viver o amor, de amar alguém é amar-se. O amor por nós mesmos nos faz buscar o prazer e evitar a dor e embora muitas vezes não consigamos evitar o sofrimento, ainda nos resta à alternativa de lidar com isso da melhor forma possível – mais importante do que o que acontece conosco é a forma como lidamos com o que acontece.

Quem se ama se cuida, se protege, se prioriza, se valoriza e não se deixa maltratar por ninguém; não aceita ser desrespeitada (o), ser desqualificada (o) pelo (a) parceiro (a); não aceitar não ser amada(o). Ao permitir que alguém lhe trate com grosseria, lhe acuse e lhe responsabilize por algo que você não fez ( provavelmente, ele (as) é quem faz), ou por algo que deu errado, você demonstra o quanto se desvaloriza. Acusações do tipo “Você estava olhando para tal pessoa”, “você demorou mais do que o necessário para chegar aqui. Onde você estava? Com quem você estava?”, “ você não faz nada direito!”…  são frequentes em relações onde o desrespeito impera. Fuja delas!

OBSERVE SUAS ATITUDES

                 Depois de certo tempo (que pode ser longo) vivendo um relacionamento destrutivo, algumas pessoas até percebem o quanto são maltratadas, mas muitas vezes não conseguem rompê-lo. Acreditam na possibilidade que o (a) parceiro (a) mude, que ele (a) a (o) ame, que tudo pode melhorar e assim se mantém vinculadas (os) a quem lhes oprime. Na verdade, quem ama valoriza, cuida, acolhe, protege e aconchega o seu amor e não o maltrata. Apesar de ser torturante viver assim, não conseguem romper o relacionamento porque não se amam e não se valorizam – os que as (os) mantém presas (os) a esse relacionamento é o desamor.

As pessoas precisam se olhar, observar suas atitudes, avaliar seus sentimentos, perceber suas emoções, se entender para que possam entender o (a) outro (a), para que saibam avaliar o relacionamento com base na realidade (veja como ele (a) trata as outras pessoas) e então decidir se devem permanecer ou sair dessa relação.  Saiba que é preciso você se dar bem consigo mesma (o), entender quais os seus desejos, necessidades, dificuldades, refletir sobre suas atitudes, buscar o seu equilíbrio interior para ter uma vida amorosa saudável e feliz. É necessário ter disposição e determinação para desatar os nós da vida, especialmente quando se trata de um relacionamento amoroso que a (o) faz sofrer e lhe rouba a paz.

POR QUEM MERECE AMOR

                Para manter um relacionamento de forma saudável, é necessário conciliar desejos, valorizar afinidades, ficar atenta (o) ao parceiro (a) e estar disponível para dar e receber carinho. O amor quando verdadeiro transforma, modifica, encanta e nos nutre de felicidade e de cuidados com o outro. Quem diz que ama e na prática do dia-a-dia desvaloriza, maltrata, oprime, agride e acusa o (a) parceiro (a) por tudo o que aconteça, se eximindo sempre de qualquer erro ou responsabilidade, nem sabe o que é amor e, muito provavelmente, mantém esse relacionamento por outros motivos.

Dificilmente alguém olha pra trás e não reconhece no seu passado um relacionamento que lhe fez  mal e que por isso nem merece ser lembrado. O desejado é que só permitíissemos que ficasse na nossa vida quem merecesse ser amado, quem nos tratasse com carinho e respeito, contribuísse para que o sorriso aparecesse fácil nos nossos lábios, soubesse respeitar nossas diferenças, tivesse uma postura ética diante da vida e nos desse a mão para juntos construirmos nossa história de amor com dignidade, respeito e muito carinho.

Post Tagged with

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.