EPIDEMIA SILENCIOSA: CULTO À MAGREZA

Muito já se falou e escreveu sobre a gravidade dos transtornos alimentares, especialmente a Anorexia e a Bulimia, mas parece que ainda não foi o suficiente. Apesar dessa discussão ter ganhado as ruas na novela “Páginas da vida”, Pérola Faria fez o papel de uma adolescente bulímica, ou quando virou manchete dos principais jornais e revistas do país (nov/2006), por ocasião da morte, por anorexia, da modelo Carolina Resto, aos 21 anos… Com freqüência, recebo em meu consultório, adolescentes vítimas desses transtornos, e o que é pior, com uma idade cada vez menor.

Tudo começa com uma dieta inocente e termina com a recusa em alimentar-se (anorexia), ou ocorre uma alimentação excessiva, em curto espaço de tempo, seguida de atitudes que anulem a possibilidade de aumento de peso, como vômitos provocados e uso abusivo de laxantes e diuréticos (bulimia). Tratam-se de distúrbios psicológicos que afetam principalmente adolescentes do sexo feminino, vítimas da ditadura da moda e dos conceitos de beleza, que vêem a magreza como símbolo de aceitação e sucesso e sonham em exibir um corpinho igual ao das modelos, para serem aceitas e valorizadas socialmente. É preciso que elas saibam que, nas modelos, a magreza, na maioria das vezes, é atributo da própria constituição física.

SINAIS DE ALERTA

As mudanças físicas, que ocorrem na adolescência, tendem a provocar nos jovens uma preocupação excessiva com a aparência (seus problemas existenciais ficam muito vinculados na relação com o seu corpo), sempre se depreciando e procurando defeitos em si, o que os torna insatisfeitos, inseguros e interferem na sua auto-estima. Assim, como é característico dessa fase, ter aversão ao próprio corpo, descontentamento e isolamento familiar. Muitas vezes, um quadro de transtorno alimentar em evolução, passa a ser interpretado pelos pais como aspecto normal da adolescência. Fique atento aos seguintes sinais ( característicos de transtornos alimentares ) na vida dos seus filhos: se está perdendo peso muito rapidamente; se fala muito em dietas; se demonstra pavor em engordar e vive contando a quantidade de calorias dos alimentos; se realiza atividades físicas excessivamente; se nunca sente fome e evita situações sociais que envolvam comida; se come muito devagar, deixa de ingerir certo tipo de alimentos que engordam ou suprime uma das refeições; se evita roupas que marquem sua silhueta; se afirma ser gorda mesmo estando magérrima. Ninguém perde peso do nada! 

BELO É SER SAUDÁVEL

Os casos de anorexia e bulimia nervosa ocorrem, principalmente em modelos, bailarinas, atletas e adolescentes em geral, vítimas de uma autocrítica muito severa e que sofrem desqualificação familiar e social. Angustiadas pelo excesso de vaidade, se acham gordas, mesmo que estejam no limite da desnutrição. Como não se consideram doentes, não aceitam fazer tratamento.

Muitos pais têm receio de parecerem repressores e por isso terminam não interferindo na alimentação dos filhos. Tem que interferir sim e, em casos mais graves, até mesmo obrigá-los a comer. Se necessário, dê comida na boca e a ordem é “só levanta da mesa quando terminar de comer”, como nossos pais faziam e dava certo. Além disso, devemos ensiná-los que cada momento da vida tem seus traços de beleza característicos e que é legal cuidar do corpo, mas também devem ser valorizados outros aspectos como caráter, sensibilidade e afeto… Ninguém é perfeito, por isso devemos valorizar o que temos de melhor e aprender a usar a moda ao nosso favor, pois não há beleza sem saúde.

Post Tagged with

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.