É “NORMAL” SENTIR CIÚME?

 

O ciúme é uma emoção humana extremamente comum, acredito que universal. Na verdade todos nós sentimos ciúmes, mas de formas diferentes: tem aquelas pessoas que sentem e não falam nada, tem as que reclamam e choram, tem as que ligam a toda hora para saber o que o outro está fazendo, tem as que fazem escândalos e jogam o que tiver na mão… mas, tem algo em comum em todas elas – o medo de perder o objeto do seu amor, de ser abandonado e de não ser mais amado.

Assim como a dor, o ciúme sempre indica que algo vai errado, pelo menos naquele momento É comum as pessoas se sentirem enciumadas em situações em que se sintam excluídas, como quando o parceiro está dando muita atenção a outras pessoas, que não necessariamente precisam ser do outro sexo, podem ser um amigo, um conhecido ou colega de trabalho. Até na família, a rivalidade entre irmãos para conseguir a tenção dos pais ou o nascimento de um novo irmãozinho costuma ser causa freqüente de ciúme.

CIÚME É PROVA DE AMOR?

O ciúme é tido como demonstração de amor. Em pequenas doses até pode sinalizar para o outro o seu amor e sua preocupação em defendê-lo, mas quando ocorrem com frequência vira tortura. A vinculação do ciúme com o amor é tão grande, culturalmente estão tão relacionados, que a ausência do ciúme termina por deixar o parceiro inseguro, com sensação de não ser amado, afinal de contas a indiferença e a rejeição são sentimentos que ninguém lida bem.

O ciúme é prova de amor por quem? Na verdade, o ciúme é um sentimento voltado para si mesmo e não para o outro, é o nosso medo de perda do amor ou da nossa exclusividade sobre ele. Quando o ciúme se torna obsessivo, traz uma sensação permanente de instabilidade e insegurança em relação a si e ao outro – a possibilidade de traição e abandono estão sempre presentes. As desconfianças são vividas como certezas. Há necessidade de ter posse do corpo, das atitudes e do pensamento do parceiro, ou seja, de possuir o outro. O medo e a angústia corroem a alma de quem tem um ciúme exacerbado.

Os portadores de ciúme patológico vivem provocando situações a fim de que possam concretizar suas suspeitas de traição: realizam visitas surpresas em casa e no trabalho dos seus parceiros, vasculham e-mails e celulares, controlam suas saídas, o seguem na rua… Muitas vezes, para evitar problemas, a pessoa que é vitima do ciúme do parceiro termina escondendo fatos acontecidos para evitar brigas e quando o outro descobre fica caracterizado o crime!

O ciumento obsessivo precisa de constante reafirmação de seu amor próprio e do amor do parceiro. Sua auto-estima é muito baixa e vê o parceiro como alguém superior. O amor do outro é sempre questionado, as brigas são constantes, o que faz com que muitos relacionamentos terminem de fato, pois o outro não aguenta conviver com tanta pressão e perseguição. Tudo isso é decorrência de um comprometimento emocional e precisa de um tratamento terapêutico.

CUIDE BEM DO SEU AMOR

Com certeza, existem outras formas mais adequadas de se demonstrar amor pelo parceiro. Acolha,  valorize e respeite a pessoa que está na sua vida. O verdadeiro amor só cresce na liberdade!

Agora, se você se sente inseguro e com ciúmes, o ideal é poder falar sobre isso com a pessoa amada, e fazer um “contrato” do que é permitido e aceitável no relacionamento. Se você é vítima do ciúme do seu parceiro, sinalize o que está acontecendo, na maioria das vezes o outro acaba não percebendo o quanto a sua conduta está pondo em risco a relação.

Cuide bem do seu amor, seja quem for!

 

 

 

 

Post Tagged with

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.