“DE AMOR ESTAMOS TODOS PRECISANDO”

Em qualquer tempo, forma ou circunstância o amor precisa ser celebrado como uma conquista, como um traço de nossa humanidade, como uma vivência de encantamento, de atração, de troca, de ternura, de zelo, de acolhimento e de construção de felicidade. Amar é para quem tem coragem! As pessoas indecisas, medrosas e egoístas não conseguem amar, pois se não conseguem nem sonhar um sonho a dois, também não conseguem trocar qualidades e partilhar vida. Para amar é necessário que a pessoa se disponibilize a considerar o outro em seus desejos e necessidades.

Antes de virar amor, a gente vive a paixão, esse sentimento arrebatador que transmuta a química do nosso corpo, modifica nossas emoções e nossa vida. A substância responsável em grande parte pela vivência da paixão é a dopamina (neurotransmissor da alegria e da felicidade), que também recebe uma ajuda considerável de outros hormônios como a ocitocina (considerado o hormônio do amor) e a vasopressina (ação anti estressora). O certo é que a paixão mexe com a química do nosso cérebro, modificando tempo e espaço, transforma dificuldades em possibilidades e desejos em realidades.

A paixão é movida pela idealização, os olhos dos apaixonados estão fechados para todas as diferenças e senões, eles só percebem as afinidades e o que contemplam o seu desejo. Passado esse momento inebriante de encantamento (os pesquisadores consideram que a paixão dura no máximo dois anos e meio), eles conseguem enxergar o outro como ele é, e assim podem perceber o que gostam e o que não gostam nele, e decidem se querem ter essa pessoa ao seu lado, construir com ela uma vida, sem cobrar que ela corresponda a todas as suas expectativas e desejos.

O amor nasce da realidade e não de uma ilusão. No amor você procura doar o que tem de melhor em si mesma, é preciso que o parceiro escolhido como objeto de amor sinta que você está com ele, que ele conta com você, que ele está incluído nos seus planos de vida e que você o está convidando para descobrir a vida juntos, num movimento de fortalecer as afinidades e respeitar as diferenças. Agora, a construção de um amor precisa de reciprocidade, é necessário que esse sonho também faça parte do desejo dele de ser casal, de trocar qualidades e de administrar conflitos.

Como bem disse Adélia Prado – “O amor pra mim é ser capaz de permitir que aquele que eu amo exista como tal, como ele mesmo. Isso é o mais pleno amor. Dar liberdade dele existir ao meu lado do jeito que ele é.” É claro que numa relação as pessoas se modificam, mas não por cobranças e imposições. Para dar certo, é preciso, acima de tudo, você gostar da pessoa que você é quando está com ele.

Na sexta-feira, dia 12, foi comemorado o dia dos namorados. Por certo, foi um dia diferente em função de todas as limitações necessárias, por estarmos vivendo um período de pandemia; mas, se não aconteceu do jeito que você queria comemorar, deixe correr essa saudade mansinha e com fé no futuro, programe-se para gastar essa alegria num amanhã que está para chegar. Vai passar, esse tempo de espera vai passar, mas por enquanto, se você puder, fique em casa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.