COZINHAR É UM ATO DE AMOR!

 

Quem acha que cozinhar é uma chatice e tem orgulho em dizer que não sabe nem fritar um ovo, provavelmente nunca se permitiu experimentar a delícia que é misturar aromas, cores, sabores e texturas; é um exercício de ousadia e liberdade você catar o que tem na dispensa e na geladeira e ousar criar comidas que apaixonam os olhos e cativam o paladar dos familiares e amigos e quem mais chegar. Esse espaço coletivo que é a cozinha se transforma num porto de afetividade e alegria quando cozinhamos com amor para agradar aqueles que amamos.

Cozinhar mobiliza muitas emoções e mexe com todos os sentidos. Assim, olfato, tato, paladar, olhar e audição se articulam na missão de produzir prazer e deixar o dia mais saboroso e alegre para quem cozinha e para quem irá saborear as delícias preparadas. Quem cozinha sabe que através da comida podemos mostrar aos outros o quanto os amamos e, sendo assim, escolher os ingredientes, definir a receita e acrescentar características que personalizem e diferenciem a sua produção de cheiros e sabores, que eternizam momentos e evocam memórias de muito prazer.

CULINÁRIA SENTIMENTAL

 Se estamos de acordo que comer é um grande prazer e cozinhar para quem se ama é um ato de amor, fica mais fácil nos remeter a nossa infância e às sensações da comida da casa da mãe da gente. Lembrar do arroz com galinha e do cozidão de carne com legumes, com direito ao pirão escaldado, da briga com meus irmãos pela moela do frango, me faz voltar no tempo e pensar que ninguém no mundo seria capaz de fazer uma comida melhor do que Naninha, minha mãe. Já que o principal ingrediente para uma boa cozinha familiar é o amor, cheiros e sabores percorrem o tempo, ficam eternizados em nossa memória e produzem lembranças e saudades.

Eu imagino que algumas pessoas podem estar pensando que não há amor que resista ao desgaste e ao cansaço de quem precisa cozinhar diariamente ou ainda que vejam nisso um gesto de opressão e submissão da mulher, uma vez que, normalmente, cabe a ela esse papel na família, mas cozinhar para quem se ama, mesmo que diariamente, faz toda a diferença; a intenção é nutrir, alimentar, cuidar da saúde (muitas doenças são causadas por uma alimentação inadequada), acolher, afagar, saciar, produzir bem estar e felicidade. Quem cozinha também se alimenta desse amor porque cozinhar é um ato de amor a si mesmo e aos outros, além disso, relaxa e pode ser muito terapêutico.

CHEIROS E TEMPEROS

Transforme uma simples refeição cotidiana em algo divertido e prazeroso. Deixe brotar o cozinheiro instintivo que existe em você e desfrute da companhia da família e dos amigos de uma forma alegre e lúdica. O maravilhoso escritor moçambicano Mia Couto foi perfeito ao afirmar que “cozinhar é o mais privado e arriscado ato. No alimento se coloca ternura e ódio. Na panela se verte tempero ou veneno. Cozinhar não é um serviço. Cozinhar é um modo de amar os outros”. Escolha temperar a comida com amor!

Apesar de a modernidade combinar mais com “fast food”, comidas congeladas e alimentos industrializados, eu não abro mão da maravilhosa comidinha da Riso e sempre que me é possível eu adoro cozinhar. Gosto da sensação de escolher os ingredientes e ousar nas misturar dos ingredientes e, como normalmente o que a gente gosta de fazer, costuma fazer bem, eu me garanto na cozinha. E mais ainda, sempre fui pra cozinha com as minhas filhas, desde que elas eram pequenas nós dividíamos o prazer de inventar comidinhas de uma forma amorosa e lúdica; a Carol se tornou uma cozinheira maravilhosa e hoje eu aprendo com ela e a Clara demonstra muita aptidão na cozinha. Aqui há muito amor para temperar delícias e eternizar momentos.  Então, o que você está esperando para exercitar o seu amor alimentando as pessoas amadas? Bom apetite!

Post Tagged with

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.