CASAMENTO X NASCIMENTO DOS FILHOS

 

Com o nascimento dos filhos, especialmente do primeiro filho, muita coisa se modifica na vida dos casais: as rotinas se transformam, os horários passam a funcionar de acordo com a disponibilidade dos afazeres com o bebê, o tempo fica escasso diante de tantas urgências e é preciso ter muita cumplicidade para que o papel de marido e mulher não fique totalmente apagado em função de tantas mudanças provocadas pela chegada dos filhos. É preciso ter muito cuidado e boa estrutura emocional a fim de  não deixarem de funcionar como um casal e passem a ser apenas pais.

Em função da desgastante rotina e das noites mal dormidas as mães sentem-se muito estafadas e estressadas, pois não é fácil acordar de três em 3 horas para amamentar e mais ainda, ter que adequar o seu horário de sono ao horário da dormida do bebê que, desde a sua chegada ao mundo passa a ocupar o papel principal no enredo da vida da família, principalmente para as mães que muito facilmente colocam os filhos em primeiro lugar, esquecendo até de si. E os maridos, nesse novo cenário familiar em que os bebês reinam de forma absoluta, ficam num papel coadjuvante ou até mesmo viram figurantes.

FIM DO EROTISMO

 Com o nascimento dos filhos muitos casamentos entram em crise, pois se antes o casal podia dispor de todos os espaços da casa e do seu tempo livre para viver o erotismo e a sexualidade de forma plena, com a chegada dos filhos a rotina doméstica fica muito mais intensa e complicada. Muito envolvidas na criação dos filhos, as mulheres estão sempre muito cansadas para transar e os homens tomam essa falta de desejo como rejeição pessoal, mas na verdade a dificuldade maior concentra-se no fato de que as mulheres costumam ter muita dificuldade em integrar sexualidade e maternidade.

É fato que a presença dos filhos torna a ligação erótica mais difícil, pois as exigências das rotinas diminuem e limitam a espontaneidade sexual. Casais sem filho fazem sexo a hora que querem, mas os que têm precisam ser mais práticos e devem planejar a relação amorosa. Isso não significa burocratizar o sexo e sim reafirmar o desejo e a importância de manterem o seu vínculo erótico, de continuarem olhando um para o outro, apesar do cansaço, da falta de energia e do tempo mais escasso. Dividindo as tarefas tudo fica mais fácil!

GRATIFICAÇÃO EMOCIONAL

A maternidade recente costuma provocar a diminuição do desejo sexual das mulheres que deslocam a sua energia para os filhos, que viram porto da sua gratificação emocional. Então, sabedores disso, homens e mulheres precisam reforçar os seus laços de companheirismo e cumplicidade conciliando horários e interesses, com a intenção de criar uma clima propício para que o desejo, o erotismo e a sensualidade possam se desenvolver.

Não são os filhos que apagam o desejo, são os pais que não conseguem mantê-lo! Celebre a chegada do novo membro da família adequando a vida de vocês a essa nova configuração familiar, mas lembrem-se de que vocês precisam reforçar os laços de afeto e erotismo que existiam antes da chegada dos filhos. Assim, colocar um roupa sensual, beijar, elogiar, traduzir o desejo em gestos e palavras, seduzir e romantizar precisam continuar fazendo parte de uma vida que deixou de ser a dois e passou a ser a três, a quatro…

Só quem tem filho sabe a delícia que é ser mãe e ser pai e o quanto o exercício responsável da maternidade e paternidade nos modificam e nos tornam pessoas melhores. Agora, poder celebrar a chegada dos filhos como um ato de fidelização do amor e da conquista de um relacionamento amoroso duradouro, onde o afeto e o tesão continuem a pontuar um clima de romance, é algo indescritível. Cuide bem do seu amor, sempre!

 

Post Tagged with

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.