BEM ME QUERO, MAL ME QUERO

A vida das mulheres (isso acontece mais com as mulheres do que com os homens) é pontuada, aqui e ali, por histórias de relacionamentos em que os parceiros se envolvem com outras pessoas, mudam completamente a sua rotina em função disso, declaram com todas as letras que não suportam mais ficar ao lado delas, que não as amam, que não têm mais tesão por elas, que desejam ser livres pra aproveitar a vida, passam a tratá-las com indiferença, às vezes até com crueldade, e elas continuam ao lado deles, implorando pelo seu amor. Que amor?

Engana-se quem pensa que isso só acontece com pessoas desinteressantes. Muitas dessas mulheres são bonitas, se cuidam, ganham bem e são responsáveis por boa parte do orçamento familiar e, mesmo sendo tanto e não dependerem do parceiro financeiramente, sentem-se tão pouco a ponto de se sujeitarem a permanecer num relacionamento que as fazem sofrer, lhes roubam a paz e a tranquilidade. E quando alguém lhes pergunta “Por que você aceita isso”, “Porque você não vai viver a sua vida…”, elas costumam responder “Porque eu gosto dele”. Na verdade, ao não conseguir viver longe de quem as faz sofrer tanto, essas pessoas não conseguem é gostar delas mesmas, além de viverem apavoradas pelo risco da solidão.

O MEDO DE FICAR SÓ ME APAVORA

O medo da solidão é tão grande que faz essas pessoas lutarem pra manter o relacionamento a qualquer custo; ter uma relação equilibrada, prazerosa e saudável fica pra segundo plano, às vezes terceiro ou nenhum plano. Ao gostar (talvez fosse mais correto dizer precisar) mais da relação do que do outro e até de si mesma, essas pessoas têm da vida o que julgam merecer. Aceitar ser desqualificada, maltratada e desamada por alguém e mesmo assim se humilhar e insistir em pedir mais uma chance é o mesmo que tentar obter, por piedade, o que você desejaria receber por amor.

A vida sempre nos mostra o caminho a seguir, pena que muitas vezes a gente não vê porque não quer ver o que possa se contrapor aos nossos desejos e atrapalhar nossos planos. Toda vez que alguém estiver sofrendo com alguma situação em sua vida e isso estiver lhe impedindo de analisar com lucidez as circunstâncias e variáveis envolvidas seria interessante procurar ouvir o que pensam a respeito do assunto as pessoas sensatas e que lhe querem bem.

HISTÓRIA DE VIDA

Tudo o que nós somos, todas as nossas escolhas tem a ver com as experiências que vivemos, com a nossa história familiar e com o nosso jeito de ser; nesse contexto, nossas escolhas amorosas, a forma como nos relacionamos com os nossos parceiros são muito influenciadas pelo relacionamento de nossos pais. Assim, nós, pais, devemos ficar muito atentos ao que vivemos em nossos casamentos, a forma como nos relacionamos com nossos parceiros porque merecemos ser felizes, mas também porque estamos ensinando aos nossos filhos, com nosso exemplo, como é um relacionamento amoroso. A prática é o melhor critério de verdade!

Ao dividir a vida com alguém juntamos histórias e experiências diferentes e que vão exigir de todos nós ajustes, renúncias, negociações e acomodações de desejos, fatos e sentimentos. Nos momentos de desencontro, dar uma nova chance ao relacionamento é saudável, mas pra manter o afeto presente e a vida transcorrer com alegria e paz, não dá pra abrir mão do respeito, da admiração, de gostar de conversar com o outro e de uma vida sexual prazerosa. Então, humilhação, desrespeito, desamor, mal caratismo e crueldade não precisam fazer parte da vida de ninguém. Não deseje pouco da vida. Se valorize, se ame e seja feliz!

 

Post Tagged with

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.