APRENDENDO COM OS ERROS!

Diariamente nós cometemos equívocos e erros, muitas vezes, por falta de atenção, por pressa, pela ausência da informação correta ou porque avaliamos de forma equivocada uma determinada situação, mas o fato é que, grande ou pequeno, nossos atos produzem sempre uma consequência. Quando o deslize é grande, mais facilmente percebemos nossa falha ou porque o corpo denuncia ou porque o outro nos sinaliza com a sua reclamação; quando é pequeno, podemos nem nos dar conta no momento em que acontece, o que faz com que numa recidiva a consequência possa ser maior em função do efeito acumulado de emoções e sentimentos.

Do ponto de vista evolutivo, a sobrevivência da espécie humana só ocorreu porque os nossos ancestrais aprenderam com os erros (deles e dos outros) e modificaram condutas. Assim, ficar atento aos erros e procurar corrigir condutas é uma atitude muito saudável; até as crianças, desde cedo, aprendem a desenvolver habilidades com base na tentativa e erro (preste atenção quantas vezes elas tentam fazer alguma coisa) e quando se cansam de não conseguir o resultado esperado, intuitivamente, modificam estratégias para tentar conseguir o que desejam.

SÍNDROME DA GABRIELA

Você conhece aquela música do Dorival Caymmi que diz “eu nasci assim, eu cresci assim, eu sou mesmo assim, vou ser sempre assim, Gabriela”? Pois é, tem gente que parece a Gabriela da música e leva a vida como se o seu destino fosse fazer sempre as mesmas coisas, acredita que tudo vai acontecer sempre do mesmo jeito, que nada vai mudar e não percebe o quanto a realidade é consequência de suas escolhas. É claro que outros fatores como a bagagem genética, a história familiar e a cultura interferem pontualmente em nossas escolhas, mas a gente costuma ter na vida o que julga merecer.

Sempre que você perceber que está vivendo uma história de repetição, em vez de responsabilizar os outros por suas dores e mazelas, comece a mudar padrões e tente entender sua vida se colocando como ator principal dessa história e faça sua reflexão na primeira pessoa do singular: “Por que eu sou traída em todos os meus relacionamentos?” “Por que eu não consigo fazer amigos?”, “Porque eu estou sempre com a sensação de que nada dá certo pra mim?”… O dia em que você perceber que o problema das repetições está na manutenção do padrão de suas escolhas, aí você vai conseguir fazer a sua vida acontecer de uma forma diferente.

PRESENTE X PASSADO

“Time que está ganhando não se mexe”, diz o ditado popular. Na verdade, quando uma coisa está dando certo, nossa tendência é a de continuar repetindo da mesma forma pra que os acertos continuem. Correto? Em sendo assim, o que nos movimenta na vida são, principalmente, nossos erros; os acertos podem até nos mobilizar a fazer melhor, a buscar o aperfeiçoamento, mas são os nossos erros que costumam nos levar a buscar novos caminhos, a experimentar o diferente. Então, não tenha compromisso com o erro, reflita e mude o que não esteja viabilizando paz e felicidade em sua vida.

A tomada de consciência é o primeiro passo num processo de mudança, mas isso não garante nada, é preciso sair do passado e vir para o presente para que a mudança ocorra. Sempre que você estiver se sentindo como a Gabriela, experimente outra canção. Que tal cantarolar “O que é, o que é?” do Gonzaguinha, “viver é não ter a vergonha de ser feliz, cantar e cantar e cantar a beleza de ser um eterno aprendiz”. E na batida do seu coração, reflita, fique atento às suas escolhas e busque novos caminhos ou os refaça de uma forma diferente.

 

Post Tagged with

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.