ALIENAÇÃO PARENTAL VIROU ASSUNTO DE NOVELA

As novelas estão cada vez mais fazendo parte da vida dos brasileiros – muitos homens negam que assistem, mas assistem. Além do tema de sempre – alguém mau caráter que apronta todas e um casal que se ama, mas que só consegue ficar junto no final – mais recentemente, incluído no politicamente correto, vem sendo tratados temas importantes relativos a denúncias e discussões como o tráfico de pessoas e alienação parental. Em Salve Jorge, Celso (Caco Ciocler) é pai de Raíssa (Kiria Malheiros) e tenta o tempo todo manipular a filha e colocá-la contra Antônia (Letícia Spiler), sua mãe.

As falas de Celso têm sempre o objetivo de desqualificar a conduta de Antônia, dificultar o exercício da autoridade dela e o relacionamento da mãe com a filha: “sua mãe nos abandonou, ela não gosta de você, ela não se importa com você, ela faz tudo pra lhe chatear, ela tem prazer em dificultar a nossa vida… Você precisa me contar tudo o que acontece na casa dela”. Isso sem falar que, enquanto a mãe tenta cuidar e disciplinar a filha, fazer com que ela cumpra horários e realize as suas tarefas escolares, com o pai, ela não só pode fazer o que quiser, como é incentivada por ele a contrariar a mãe, chegando ao absurdo de não dar o remédio que a criança precisava tomar,  tão somente porque o cuidado e a orientação partiu da mãe. A situação é tão crítica que até os pais dele, que sempre foram coniventes com as condutas do filho, reprovam o seu comportamento.

QUEM AMA PROTEGE E CUIDA

“Considera-se ato de alienação parental a interferência na formação psicológica da criança ou do adolescente sob a sua autoridade, guarda ou vigilância para que repudie o genitor ou que cause prejuízo ao estabelecimento ou manutenção de vínculos com este. ”Usar o filho para se vingar do ex-companheiro, para revidar rejeição e frustração em função de uma traição é muita inconsequência e perversidade. É dever dos pais preservar, proteger e acolher os filhos sempre e não usá-los como instrumento de vingança.

Se você pensa que a conduta do Celso na novela está sendo exagerada, infelizmente, posso lhe afirmar que tenho acompanhado casos bem piores no consultório e numa frequência que cresce a cada dia. Felizmente, os nossos magistrados tem se mostrado muito sensíveis aos dramas dessas crianças e adolescentes e, sabiamente, os encaminham para avaliação do serviço psicossocial e para terapia familiar, ao mesmo tempo em que aplicam as sanções previstas pela lei a quem impede a convivência dos filhos com o outro genitor.

DIREITO DE CONVIVÊNCIA

A família deve ser um espaço de afeto, proteção, acolhimento e respeito. O papel dos pais é proteger, cuidar, amparar, educar e ensinar os filhos a terem uma postura ética diante da vida e isso inclui respeitar as pessoas, aceitar as diferenças, acatar as leis, preservar a vida e a conviver amorosamente com a família (especialmente pai, mãe e irmãos), amigos e conhecidos.

Numa separação o vínculo que cessa é o de esposo e esposa, o papel de pai e de mãe permanece para o resto da vida. Não existe ex-pai, ex-mãe e ex-filho. Para que uma criança cresça e se desenvolva de forma saudável, o ideal é que ela tenha referência de pai e de mãe e seja amada e protegida pelos dois; ambos são importantíssimos no desenvolvimento psicossocial dos filhos. Poder conviver com os pais é um direito dos filhos. Exercer a maternidade e a paternidade é um direito dos pais. A alienação parental é crime!

Post Tagged with

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.