AI DE MIM SE NÃO FOSSE EU!

O amor próprio é o que garante a nossa caminhada de forma harmoniosa na vida, por isso é essencial sempre se estabelecer uma ordem de prioridade na vivência do amor: primeiro o amor próprio, depois o recíproco. Sem conseguir sentir estima, respeito, admiração e carinho por nós mesmos, não vamos conseguir nos priorizar e, muito menos, vamos investir energia para realizar nossos desejos e sonhos.  A nossa felicidade depende de nós, da forma como nós vivemos nossos afetos e construímos a nossa realidade.

O amor interfere muito no desenvolvimento biopsicossocial de todos nós, desde o período em que fomos gestados. A verdade é que só sabe amar quem se ama, e para que alguém se ame é preciso que tenha sido amado por alguém, especialmente se esse amor vier dos pais, por serem referências primárias de amor e afeto e modelos de identificação (quando isso não acontece, outra pessoa pode assumir esse papel). Quanto mais cedo começar a nossa história de amor, mais chances temos de aprender a nos amar e amar os outros.

A melhor forma de demonstrarmos nosso amor por nós é nos cuidando e nos empenhando em sermos a nossa melhor versão. Devemos ser mais carinhosos conosco, devemos aceitar a nossa humanidade e devemos ter consciência de que erros e defeitos fazem parte da vida de todo mundo e que cabe a nós a tarefa de nos proteger, nos priorizar, nos valorizar e não nos deixar sermos maltratados, desrespeitados e humilhados por ninguém. Ter dignidade e amor próprio é necessário para o exercício do amor.

Amar e ser amado é o sonho afetivo de consumo da maioria das pessoas, infelizmente, nem todas sabem amar e nem receber amor. Numa relação afetiva é preciso que haja reciprocidade, que o ser amado agregue valor a nossa vida e nós a vida dele, que não haja uma desproporcionalidade na vivência do amor, pois toda vez que alguém estiver fazendo demais numa relação é porque o parceiro está fazendo de menos e, se não há investimento do outro é porque nem a gente e nem a relação tem a mesma importância para ele. Não devemos aceitar ser pouco na vida de ninguém!

      Então, fique muito atento à forma como você vive o amor e se afaste das pessoas tóxicas que lhe roubam a paz e a tranquilidade. Seja muito para você; decrete que o seu melhor amigo é o seu amor por você e siga em frente com a alma leve e o coração em paz.  Aceite seus erros e imperfeições e procure melhorar como pessoa, mas não tenha compromisso com o erro; refaça caminhos, seja receptivo ao inesperado e crie novas possibilidades que alegrem a sua vida. Nós somos responsáveis por tudo de bom e de ruim que nos acontece, de alguma forma buscamos ou permitimos viver aquela realidade.

Ame-se! Procure viver no tempo do amor e da delicadeza, mas saiba que essa tarefa não é nada fácil e costuma dar muito trabalho. Como bem disse o poeta Quintana na Canção do dia de sempre é “Tão bom viver dia a dia… A vida assim jamais cansa…”. Empenhe-se em tornar seus dias especiais. Feliz vida para todos nós!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.