A solidão devora

 

Viver sozinho não é uma vocação humana. Somos seres sociáveis, por isso, a solidão é um dos sentimentos mais temidos pelo ser humano e talvez seja a maior “doença afetiva” de nosso tempo.

Quando pensamos em solidão a relacionamos a algo ruim, que nos traz sofrimento, sensação de uma derrota íntima e de não ser amado.  Mas ficar só nos dá a  possibilidade de usufruirmos de  maneira prazerosa de nossa própria companhia e é uma excelente fonte de auto-conhecimento e uma oportunidade rara de crescimento,  além de demonstrar maturidade emocional.

A vida nos reserva períodos de solidão inevitáveis, seja por morte, separação ou afastamento de pessoas queridas. É natural um recolhimento nessas situações, mas estas perdas não precisam nos amargurar eternamente!

Em última instância, a solidão nada mais é do que o nosso medo de ficar com a nossa companhia, seja pela falta de amor próprio, pela culpa, pelas nossas fantasias, pelo nosso vazio interior,…

Se descubra e se encante com a sua companhia. Caetano tem razão: “Cada um sabe a dor e a delícia de ser o que é”.

Solidão a dois

Uma das experiências mais angustiantes é a de nos sentirmos sós, estando acompanhados. É terrível sentir-se constantemente ignorado e abandonado na presença de alguém. Sempre que percebermos que algo não vai bem num relacionamento, devemos falar com o parceiro sobre nossa insatisfação, dando oportunidade para que ambos reflitam sobre o fato, para que vivências negativas sejam transformadas, permitindo o crescimento de ambos e da relação.

Um dos grandes problemas da vida a dois é o de tentar negar que algo está acontecendo, quando de fato está. Muitas vezes,  temos dificuldade em perceber as mudanças na relação, pelo apego e medo da perda. Não estou falando de querer “discutir a relação” por qualquer motivo. A questão é não perceber e/ou não ligar para o sentimento de solidão ou incompletude do outro,  o que com certeza afeta, absurdamente, a vida do casal e nos mostra o quanto este relacionamento encontra-se desgastado.

No relacionamento a dois, ninguém almeja a solidão que é uma prova máxima de desumanidade, o que todos nós buscamos é uma relação de troca, cumplicidade e crescimento.

A solidão das mulheres é maior

Pesquisas realizadas pela FGV indicam que, a partir dos 35 anos de idade, a taxa de solidão feminina aumenta e a dos homens diminui. E o que é pior, “na idade adulta”, 4 de cada 10 mulheres brasileiras estarão sozinhas e que as solitárias apresentam um nível de escolaridade maior, conseguem mais trabalho e tem melhores salários em relação à média das brasileiras.

Se levarmos em consideração que a população de mulheres é maior que a dos homens; que nós temos mais longevidade; que a maioria das mulheres continua preferindo se relacionar com homens mais velhos e que estes procuram mulheres mais novas pra casar ou não estão disponíveis, isto significa a solidão de muitas mulheres. Os homens temem se relacionar com mulheres independentes e de sucesso (mesmo sendo bonitas, inteligentes, sensíveis…)?

Isto em parte é verdade mas, qual a nossa participação nesta história? – Creio que nós também precisamos repensar nossas escolhas e nossa forma de nos relacionar com os homens. Via de regra, procuramos parceiros que consideramos mais bem sucedidos e inteligentes do que nós (conforme pesquisa feita pela USP), o que representa uma dificuldade a mais para as mulheres que já conquistaram o sucesso. Nosso nível de exigências cresce na mesma proporção de nossas conquistas profissionais.

Além disso o universo feminino tem se masculinizado, não só por termos conquistado nossa independência econômica, mas por termos incorporado em nossa vida, modelos masculinos como ambição, luta pelo poder, baixa sensibilidade e acabamos por  descartar e trair os parceiros com a mesma naturalidade masculina…

Precisamos nos apressar e buscar novos paradigmas de relacionamento, se não… 

Como vencer a  solidão?

A solidão é fruto do estilo de vida que levamos! Numa era em que o desejo de poder e status prevalecem, em que o TER muitas vezes torna-se mais importante que o SER, fica difícil não se sentir só. O poder é solitário!

Segundo estudos médicos, a solidão provoca adoecimento. Os solitários têm uma vida mais desregrada, são mais suscetíveis a doenças cardiovasculares, depressões… e até mesmo suicídio.

Aprender a resiguinificar nossa vida e construir um caminho de ajuda mútua, de intimidade com o parceiro, família e amigos; valorizar os sentimentos (nossos e dos outros), investir nas causas humanas, fugir do narcisismo e do individualismo; não disputar poder e não negligenciar no cuidado com o outro, aprender a modificar hábitos e flexibilizar a vida, enfim, estreitar e criar vínculos  é o caminho para se viver uma experiência verdadeiramente amorosa e vencer a solidão.

Não se deixe devorar pela solidão!

Post Tagged with

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.