“A gente briga, diz tanta coisa que não quer dizer…”

Para muitas pessoas brigar é algo destrutivo e que acaba com os relacionamentos por isso, para evitar discussões, se omitem e se calam em determinadas situações, mesmo que considerem a atitude do parceiro inaceitável. Brigar não é necessariamente algo ruim, muitas vezes é uma oportunidade para se chegar num acordo e dar chance para que o relacionamento amadureça; ruim é se calar e acumular mágoas que um dia serão cobradas de forma inadequada.

Para viver a intimidade e o afeto de forma harmoniosa é necessário que cada um dos membros do casal, esteja disposto a se comunicar e a rever condutas. Quando as pessoas funcionam com rigidez, se sentem dona da verdade, não abrem o mínimo espaço para o parceiro expressar seus desejos e muito menos voltam atrás em suas opiniões em buscas de acordos. Se você está se enquadrando nesse perfil, pense em diminuir suas defesas, perceba que o outro é seu parceiro e não seu inimigo; lembre-se também  que ele(a) é uma pessoa diferente de você, foi criado numa cultura diferente, com um legado de valores, crenças e mitos próprios de seu grupo familiar; e que possui características pessoais também diferentes, o que interfere na forma como  convive com as circunstâncias do dia-a-dia.

Interesse de investir na relação

 Se engana quem pensa que o casal ideal é aquele que não briga. Talvez não brigue porque o tédio, a indiferença e o desamor já atingiram níveis tão grandes que não há mais interesse no outro e nem motivação em investir na relação. Por outro lado, brigas constantes provocam desgastes, ressentimentos e mágoas o que desencadeia o afastamento do casal; os casais brigam sempre pelos mesmos motivos (falam as mesmas coisas e reagem da mesma maneira) sem que algum deles mude de estratégia e tente realmente resolver o problema.

O que se vê, muitas vezes, é um “cabo de guerra” onde ninguém quer afastar de sua posição inicial e quando normalmente, um deles percebe que perdeu a briga, sente-se injustiçado e ofendido, assume uma postura de vítima e se isola. Mas, quando as brigas se tornam muito freqüentes, fica difícil não se chegar à conclusão que serão mais felizes separados e setem saudade do tempo em que viviam em paz.

Brigas produtivas

Todas as vezes que você achar importante e necessário brigar por alguma coisa com o objetivo de  manter um bom relacionamento com o seu parceiro, brigue, mas o faça com lealdade. Expresse sua opinião e defenda seu ponto de vista sem desqualificá-lo, sem adjetivar a sua fala e muito menos atribuir intenções e motivações a ele(a). Se o seu desejo é o de resolver o conflito, se concentre em você, fale de você, de como você se sentiu em determinada situação e não acuse seu parceiro por um sentimento que é seu: assim, em vez de dizer “você não me valoriza” diga “eu me sinto desvalorizada quando você age dessa maneira”.

A forma como você briga pode ser mais importante do que o próprio motivo que levou ao desentendimento. Se você só está preocupado(a) em disputar verdades e no calor da discussão faz acusações ao seu parceiro a briga torna-se destrutiva e provoca muito desgaste  na relação mas, pode ser muito produtiva quando ocorre de forma respeitosa e representa um desejo sincero de resolver pendência e estabelecer acordos. Brigar com lealdade, brigar pela manutenção do amor fortalece a sua relação, preserva a afetividade e promove o crescimento de ambos, mas cuidado, não exagere na dose!

 

 

Post Tagged with

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.