• SONHAR É PRECISO!

     

    Todos nós sabemos que é preciso ter qualidade de sono para se ter saúde e viver bem, pois o sono é um balizador do nosso estado emocional. Um sono reparador não consegue diminuir e nem acabar com os nossos problemas, mas nos ajuda a ter mais tranquilidade e leveza para refletir e ver a melhor forma de poder lidar com as dificuldades da vida; além disso, durante o sono ocorre uma série de funções importantíssimas à nossa saúde como a produção de hormônios, ajustes metabólicos, consolidação da memória e do aprendizado, entre outros. Por outro lado, a privação do sono provoca desequilíbrio físico, mental e emocional.

    O nosso sono não se mantém igual à noite inteira. Ele é dividido em dois estágios fundamentais: na primeira metade, costumamos ter um sono profundo e, na parte final, próximo do despertar, na fase conhecida como REM (caracterizada por movimentos rápidos dos olhos e intensa atividade cerebral) acontecem os sonhos. E, mesmo que muitas vezes nem percebemos que sonhamos, sonhamos sempre; algumas vezes os sonhos são tão claros que entendemos de pronto o porquê e o sentido deles, outras vezes eles não nos parecem fazer o menor sentido, embora tenham, nós é que não conseguimos entender o que  tentam nos dizer e avisar.

    Os sonhos são pensamentos que ocorrem durante o sono, são atividades mentais pouco organizadas, que conseguem burlar o controle da censura e tornam visíveis desejos e conflitos inconscientes. Não sei se você sabia, mas eles são importantíssimos porque servem para regular o nosso funcionamento psíquico, alimentar a alma, processar fatos acontecidos, realizar desejos, solucionar conflitos, vencer o medo e também nos possibilitam ter uma melhor compreensão de nós mesmos. Por tudo isso, eles são pessoais e intransferíveis, pois só fazem sentido diante do contexto da vida de cada um de nós.

    Nossos sonhos são avisos do nosso inconsciente sobre potenciais perigos, oportunidades e desejos. Não é a toa que Freud dispensou tanto tempo no estudo dos sonhos, pois entendia que eles traduziam desejos reprimidos. Quem de nós nunca teve um sonho que nos deixou o dia inteiro pensativos, tentando entender o que o nosso inconsciente estava tentando nos dizer? Pois é, nem sempre conseguimos entender a linguagem simbólica presente nos sonhos! Eles podem ser para nós um mistério renovado a cada dia e  nos preparam para enfrentar as circunstâncias do cotidiano e as que nos esperam no dia seguinte.

    E quando algum sonho se torna repetitivo, normalmente são pesadelos, sonhos ruins e que costumam ser sintomas de estresse pós-traumático – transtorno que se caracteriza pelo medo e pela dolorosa repetição de uma recordação de intensa ameaça, e ocorrem com pessoas que passaram por situações de perigo e violência. Essas lembranças são dolorosas, indesejáveis e involuntárias, provocam um reviver de sofrimento e indicam que algo de grave está perturbando a vida da pessoa e que precisa ser resolvido.

    O fato é que sonhamos sempre, mas poucas vezes lembramos do que sonhamos porque depois que acordamos, já nos ocupamos com os pensamentos e as tarefas do cotidiano e nos desconectamos do nosso mundo interno. O ideal é que tivéssemos perto da nossa cama papel e caneta para que pudéssemos anotar de pronto os nossos sonhos, pois entender o significado deles nos ajuda a nos conhecer melhor, pois eles revelam muito sobre nós. Sonhar é preciso para fixar memórias e realizar desejos. Viver é realizar sonhos!

     

    Post Tagged with

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *