• SEXO E PORNOGRAFIA NA INTERNET

     

    A rede de computadores vem ampliando, cada vez mais, o seu espaço de divulgação e expressão do erotismo. Atualmente, cerca de 12% dos sites existentes na internet são pornográficos e estima-se que 42,7% dos usuários da rede acessem pornografia. Segundo pesquisas, os Estados Unidos assumem o pódio de primeiro lugar em número de usuários de sites pornográficos (eles são os criadores de 89% de toda pornografia criada na internet) e os brasileiros aparecem em segundo lugar em número de acessos; e se ilude quem acha que só os homens acessam sites pornôs: 1 em cada 4 acessos a esses sites são realizados por mulheres.

    A realidade é que todos os dias, especialmente aos domingos (o dia de maior registro de acessos), milhões de pessoas no mundo inteiro visitam os sites pornográficos na internet.  Dessa forma, sentindo-se protegidos pelo anonimato e mais livres para burlar a timidez ou recatos, a busca pelo prazer vem ultrapassando as práticas convencionais em todos os sentidos; a facilidade e rapidez com que o material erótico e pornográfico pode ser acessado faz do mundo cibernético um espaço de possibilidades de se viver fantasias eróticas, muitas vezes inconfessáveis numa relação a dois.

    ENCONTROS VIRTUAIS

     O desejo de viverem novas experiências, de fugir da rotina ou mesmo apimentar a sua vida sexual tem mobilizado homens, mulheres, casais ou grupos a buscarem as salas de bate-papo erótico, com o objetivo de conseguir parceiros com quem possam experienciar o sexo virtual. A necessidade de acrescentar um “algo a mais” na relação sexual pode tornar-se tão indispensável que algumas pessoas ficam dependentes de estimulações visuais de filmes pornôs ou outros recursos (como a utilização de objetos) para que consigam ter prazer e atingir o orgasmo, o que demonstra a uma incapacidade de viver a intimidade sexual com seu parceiro de forma satisfatória.

    Ter fantasias sexuais e realizá-las, desde que seja com a concordância absoluta do parceiro, costuma ser algo saudável. Tudo o que acontecer na vida de um casal e que acrescente prazer e intimidade entre eles, ajuda a romper a mesmice, a afastar o tédio e serve para modificar rotinas. Porém, torna-se preocupante quando algum recurso como o sexo virtual passa a ser a única forma de alguém ter prazer; quando isso acontece fica claro que gerou dependência e demonstra que a pessoa está escrava dos seus desejos ao excluir outras formas saudáveis de se viver a sexualidade.

    CUIDADO

    É sempre bom lembrar que a internet também é território de abusadores e pedófilos (embora os assédios sexuais normalmente aconteçam na família e nos arredores). Também é preciso esclarecer que existe muita diferença entre um adulto escolher se envolver com sexo virtual e um adolescente enveredar por esse caminho, portanto é preciso que os pais estejam sempre atentos e vigilantes acerca dos caminhos percorridos por seus filhos no mundo virtual, que sites eles acessam, com quem eles costumam falar e qual o teor dessas conversas; é necessário orientá-los sempre acerca dos riscos e possibilidades na vida.

    Como essas incursões por sites pornográficos, conversas eróticas e sexo virtual na maioria das vezes acontecem de forma unilateral, ou seja, sem o conhecimento, concordância e participação do parceiro, quando essas ocorrências são descobertas pelo outro fatalmente ocasionam muitas brigas e tem sido motivo do término de muitos relacionamentos.

    Que o sexo é termômetro do relacionamento amoroso nós todos sabemos. Mas, nem todos sabem o prazer que é olhar o parceiro nos olhos, tocar na sua pele e arrepiar a sua alma; nem todos aprenderam a usar a fantasia como forma de driblar os desgastes provocados pelo tempo e pelas circunstâncias; nem todos sabem demonstrar o desejo de se conectar de forma criativa com o parceiro e de mantê-lo como alguém que lhe desperta desejo e tesão. No sexo tudo é permitido desde que consentido e não ameace a integridade física de ninguém, afinal, como escreveu o poeta Drummond “o que se passa na cama é segredo de quem ama”.

    Post Tagged with

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *