• PEQUENOS DITADORES.

     

    É impressionante como tem aumentado a quantidade de crianças mimadas e autoritárias, que não admitem ser contrariadas, não têm limites e não respeitam ninguém. A conduta dessas crianças tem deixado muitos pais e demais adultos que com elas convivem, atônitos e sem saber o que fazer quando elas têm um “ataque de raiva” (e isso ocorre com muita frequência) e começam a gritar, jogar-se no chão, bater neles, quebrar coisas, não obedecer a ordens, xingar quem tentar chegar perto… A presença de outras pessoas não as intimida, muito pelo contrário, elas aproveitam que os pais ficam envergonhados e assim conseguem o que querem.

    As condutas inadequadas que ocorrem em casa, também se repetem na escola, onde elas batem nos coleguinhas, quebram pertences dos outros, roubam objetos, se recusam a participar das atividades em sala de aula, xingam as professoras… E, muitas vezes, só depois que a escola chama estes pais para conversar e  avisa-os que os outros pais estão reclamando do comportamento da sua cria é que eles concordam em levar o filho ao psicólogo, pois já se encontram desesperado, não sabem o que fazer e admitem que se tornaram reféns emocionais do filho. E vejam bem, estamos falando de crianças com 6 ou 7 anos de idade – as condutas normalmente se agravam nessa idade, embora apareçam bem antes.

    As causas desse comportamento sem limites da criança costumam ser a permissividade dos pais que por trabalharem fora e não terem tempo para ficar com os filhos terminam compensando a ausência deles sendo altamente permissivos e superprotetores, ou ainda pelo fato de terem sido criados de forma muito autoritária e, com receio de também serem autoritários, confundem liberdade com permissividade e permitem a instalação do caos em sua casa. No fundo, o que percebemos é que os pais têm muito medo de perder o amor dos filhos ao impor-lhes limites, disciplinas e fazê-los obedecer a ordens.

    Dizer não e colocar limites não traumatiza ninguém e nem faz perder amor, muito pelo contrário, ensina as crianças a respeitar normas e valores sociais. Crianças criadas sem limites, que controlam os pais através da birra e da agressividade, crescem achando que podem fazer tudo e, dessa forma, as chances delas delinquirem, infringirem regras, descumprirem leis e se meterem em confusão é bastante provável.  Quando não se aprende em casa a respeitar, obedecer, cooperar, cumprir decisões, acolher, ser solidário e amar o próximo a convivência social com as outras pessoas fica muito prejudicada.

    Os pais costumam dizer que estão criando os filhos para o mundo, a fim de que eles no futuro consigam trabalhar, ter sucesso, encontrar um parceiro amoroso, ter saúde, ser amados e viver felizes, mas para isso tudo acontecer na vida deles é preciso os filhos aprenderem que na vida temos direitos e deveres, que liberdade precisa ser exercida com responsabilidade, que é imprescindível respeitar às diferenças e que a vida em comunidade pressupõe respeitar os limites estabelecidos socialmente.

    A dinâmica e funcionamento familiar têm enorme influência na vida das pessoas. Crianças que foram criadas com amor, carinho e respeito tendem a internalizar afetos positivos e transitar na vida exercitando sorrisos e delicadezas; as que foram criadas num ambiente de desrespeito e agressividade tendem a ver o mundo de forma hostil; e as que foram criadas com permissividade e sem limites vão achar que podem tudo e não vão conseguir ser aceitos pelos outros. Pensem nisso?

    Post Tagged with

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *