• MINHA EX É UMA LOUCA!

     

    Desconfie de alguém que se refere a sua ex (ou seu ex, embora esta afirmativa costume partir dos homens) dessa forma. O roteiro costuma ser o mesmo: “ela é uma louca, do nada começava a gritar, fazia escândalos sem motivo, reclamava de tudo, desconfiava de todas as pessoas que se aproximavam de mim e infernizava a minha vida com suas cobranças e ciúmes”, mas será que as coisas aconteciam dessa forma? Muito provavelmente não! Afinal de contas, responsabilizar alguém que não esteja presente e disponível para se defender é muito fácil e cômodo, embora desleal.

    Se algum dia você ouvir do seu parceiro amoroso uma acusação desta ordem com relação à ex dele, desconfie da veracidade dos fatos. O melhor é você procurar verificar o que de fato aconteceu, pois, distorcer informações, omitir ou inventar fatos para acusar a outra e se eximir de culpas é muito comum em pessoas com um perfil abusador, especialmente se a pessoa acusada, que na verdade é vítima, tenha tido coragem de romper com aquele relacionamento abusivo e decidir seguir a vida sem a presença do parceiro algoz, que tenta se passar por vítima.

    O abusador consegue distorcer tudo a favor dele (é tão fácil contar apenas uma parte da história e acusar alguém ausente), mas se a ex pudesse falar, o que será que ela diria a respeito dele e da relação? Se fosse relatar como era o dia a dia da vida deles enquanto casal, certamente ouviríamos um relato bem diferente dos fatos contados por ele e, saberíamos tudo o que ele fazia para lhe tirar do sério, quais acusações e ameaças ela recebia, de como era a tortura psicológica a qual era submetida, até que não aguentava mais e “surtava”.

    Nós vivemos numa sociedade patriarcal e machista que continua ignorando a voz das mulheres, creditando como verdade as falas masculinas. Relação sempre envolve duas pessoas e sendo assim, as responsabilidades pelo sucesso ou fracasso do relacionamento devem ser divididas pelo casal. Ao assumir sua parte nessa história e dividir com a sua ex a responsabilidade pelo término da relação, a pessoa diminui consideravelmente a chance de incorrer no mesmo erro no futuro, além de demonstrar maturidade emocional.

    Conjugar o verbo errar no tempo e nas pessoas corretas (errei, erramos), demonstra que a pessoa assume seus erros e, também, denota disposição em buscar soluções compartilhadas para os problemas enfrentados pelo casal. No decorrer deste processo, pode acontecer o resgate da relação ou a decisão pode ser o fim do relacionamento, mas tudo tende a acontecer de forma civilizada e respeitosa, em vez de se buscar culpados para o fracasso do relacionamento amoroso.

    A vida sempre mostra o caminho que devemos seguir e, quando não vemos (porque não queremos ou não conseguimos ver) a desilusão, a tristeza e o fracasso serão nossos companheiros por um tempo. Fuja do relacionamento com pessoas que só fazem responsabilizar a ex pelo relacionamento ter fracassado. Lembre-se, um dia, no futuro, esse papel da ex-louca poderá ser ocupado por você.

     

    Post Tagged with

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *