• EXERCITEMOS A SORORIDADE!

     

    A palavra sororidade pode lhe parecer um pouco estranha, mas o conceito dela é de extrema importância para a vida de todas as mulheres, pois significa “a união e a aliança entre as mulheres, baseada na empatia e no companheirismo, em busca de alcançar objetivos comuns”. Desta forma, a tarefa de ajudar umas às outras, historicamente, tem sido muito mais do que uma questão de sobrevivência, transformou-se em uma bandeira de luta pelo reconhecimento de direitos, dando uma dimensão política e ética a luta pela igualdade entre os gêneros.

    A luta pelo reconhecimento de direitos não tem sido fácil e esta caminhada tem custado muito sofrimento, suor e lágrimas às mulheres. Nesse contexto, o Movimento Feminista (1950) foi um marco nesta trajetória ao defender que nós, mulheres, não tínhamos nada de “sexo frágil” e que precisávamos nos tornar protagonistas das nossas vidas e criar um novo roteiro para nossa história; a partir daí, começamos a entender que tínhamos o direito de assumir o papel principal no filme da nossa vida e que não queríamos mais fazer apenas figuração.

    Já estamos no século XXI, muitas décadas se passaram e nós, mulheres, continuamos sendo vítimas de preconceito, discriminação e violência. Observem alguns indicadores sociais das mulheres no Brasil: numericamente representamos a maioria da população (52%); comandamos 42% dos lares brasileiros; já somos a maioria com ensino superior (na população de 25 anos ou mais, em 2016, nós, mulheres, somamos 23,5% e os homens 20,7%) e no ensino médio, também, estamos na dianteira ( representamos 73,5% e os homens 63,2%) e, mesmo assim, enfrentamos a desigualdade no mercado de trabalho – em muitos casos, as mulheres recebem apenas 75% do que os homens ganham, embora exerçam o mesmo cargo ou função.

    Ah, isso sem falar que muitas vezes somos preteridas nas oportunidades de trabalho porque mulheres engravidam e têm direito a licença-maternidade, dá vontade de perguntar se eles nasceram de chocadeira? E, isso não é o pior: em nosso país, 13 mulheres são assassinadas por dia, vítimas da violência; a cada duas horas uma mulher é assassinada; a cada 11 minutos uma mulher é estuprada (prestem atenção, eu falei minutos). Chega de violência! Precisamos acabar com tantos atos de discriminação, opressão e mortes. Queremos paz!

    Pois é, pensando em mudar o rumo dessa história de exploração, preconceito e violência é que nós, mulheres do mundo inteiro, resolvemos nos unir para juntas nos protegermos e lutarmos por nossas vidas e nossos direitos. Nesta luta, muitos homens se tornaram parceiros e já encamparam a luta pela igualdade de direitos, afinal, dividimos com eles o sustento da família e os cuidados com a prole. Porém, ainda existem muitos homens que praticam a misoginia (ódio, desprezo ou preconceito contra as mulheres) – Deus nos livre, proteja e guarde deles.

    A nossa realidade enquanto humanidade poderá ser muito melhor quando homens e mulheres, juntos, caminharem em direção à construção de um mundo mais fraterno, justo e igualitário. Até que isso aconteça, vamos continuar exercitando a sororidade – mexeu com uma, mexeu com todas!

    Post Tagged with

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *