• CRIANÇAS PODEM SER CRUÉIS.

     

    As crianças, diferente dos animais, nascem completamente vulneráveis e indefesas, precisando dos cuidados da mãe ou de outros adultos para poderem sobreviver e assim permanecem durante alguns anos, necessitando de cuidados para se manterem vivas, se desenvolverem e crescerem. Por conta deste histórico de desenvolvimento infantil, as crianças ainda são vistas como seres puros e indefesos, quando muito reagindo com choro, birra e algum gesto agressivo quando estão com sono, fome ou quando suas vontades não são atendidas; mas esta é uma crença equivocada, elas também conseguem ser perversas, agressivas, manipuladoras e cruéis.

    Você pode estar estranhando eu colocar as coisas dessa forma, e isso acontece porque falar sobre crueldade infantil continua sendo um tabu, mas é preciso ficar claro que a infância não é apenas um período de vivências alegres, de brincadeiras construtivas e de bons aprendizados, também é nesta fase do desenvolvimento que as tendências violentas começam a se manifestar (em torno de 4 anos) e isso pode incluir condutas cruéis como colocar apelido maldoso no coleguinha por ele apresentar alguma condição especial; machucar um amiguinho para vê-lo sofrer; maltratar os animais; demonstrar prazer em quebrar um brinquedo do irmãozinho; arrancar flores do vaso e pisoteá-las; desafiar os adultos…

    E se, além dessas condutas desviantes, a criança apresentar uma sexualidade precoce; desenhar com força, demonstrando raiva (por vezes até rasgando o papel); mostrar-se intolerante; mentir com frequência; reagir com agressividade quando contrariado; bater na babá, irmãos e coleguinhas por nada; apresentar baixa tolerância à frustração; recusar-se a pedir desculpas aos outros e, na escola, demonstrar dificuldade de socialização por conta de suas condutas agressivas, você tem motivos de sobra para ficar muito preocupada. Antes de qualquer coisa, converse com ela, observe o contexto da sua casa e tente descobrir de onde vem o aprendizado dos comportamentos perversos   apresentados por ela.

    A primeira explicação, embora não seja a única, para que possamos começar a entender como uma criança consegue desenvolver condutas tão cruéis, está na forma como elas foram criadas e no ambiente em que viveram. As crianças que cresceram sendo vítimas de maus tratos, negligências, rejeições, abusos físicos, emocionais e sexuais tendem a tornarem-se frias e insensíveis justamente porque não foram criadas com carinho, atenção e cuidados. Para a criança aprender a ter empatia e demonstrar amor aos animais e as pessoas é preciso que ela seja ensinada a amar sendo amada.

    Os pais são modelos a serem seguidos e a família é referência primária do aprendizado do amor. É em casa onde primeiramente se aprende o que é certo e o que é errado, o que se pode e o que não se pode fazer, onde limites são definidos tendo como base o respeito. Família transmite costume e ensina valores e sendo assim, se os pais apresentam comportamentos agressivos (xingam, desqualificam, ofendem e batem) não dá para se esperar conduta diferente dos filhos. Violência gera violência!

    Precisamos ensinar nossos filhos que ter raiva é normal e que o fato deles ficarem com raiva quando são contrariados ou não atendidos nos seus desejos não lhes dá o direito de serem cruéis com ninguém. É nosso dever ensiná-los, desde cedo, que todas as suas condutas, assim como as nossas, terão uma consequência e que elas serão boas ou ruins de acordo com o que a gente tenha feito. Devemos estar sempre atentos à conduta dos nossos filhos e, em nenhuma circunstância permitir atos de crueldade.

     

    Post Tagged with

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *