• CRIANÇA NÃO NAMORA!

     

    Toda vez que eu vou a um aniversário de criança e, logo após os parabéns, ouço o coro do “Com quem será, com quem será que ele vai casar. Vai depender, se a (aí falam o nome da suposta namoradinha) vai querer…” eu percebo que as outras crianças presentes na festa se divertem muito com isso e que os adultos entram na brincadeira, provavelmente sem se dar conta de que estão estimulando algo que não está compatível com a idade do aniversariante. Criança não namora, muito menos pensa em casamento; quem namora é adolescente e adulto.

    Alguns de vocês podem estar pensando, ah, esses psicólogos veem problemas onde não há! Mas há! Falar em namoro na infância é adultizá-las e incentivar uma erotização precoce e, o que acontece na hora do aniversário também acontece na escola, onde os pais acham engraçado seus filhos (especialmente os meninos), falarem que namoram com a coleguinha; e quando a própria criança não fala, os coleguinhas denunciam e contam para todo mundo que eles estão namorando.

    E as condutas que estimulam uma erotização precoce não ficam só nas falas. O mercado de roupas e cosméticos direcionados ao público infantil vem crescendo assustadoramente e, é preciso se ter cuidado com isso, pois cada vez mais, as roupas infantis têm imitado a roupa dos adultos: têm transparências, decotes, babados e tudo o que estiver na moda. Além disso, tem se tornado comum às mães levarem suas filhocas ao salão junto com elas e permitem que elas também façam hidratação, escova, chapinha, pintem às unhas e até os cabelos.

    Pois bem, saiba que a erotização e a adultização precoce interferem no desenvolvimento sexual e no processo maturacional de nossas crianças. A sexualidade infantil é diferente da do adulto (ela não é um ser assexuado, sente prazer e tem erotismo), pois “não consegue organizar todos os impulsos eróticos em um todo coerente, esse processo se dá aos poucos em direção a genitalidade”.  Sabemos que a erotização está presente na sociedade como um todo e os estímulos sexuais são disseminados pela mídia, já é difícil controlar isso, não cabe ainda ser estimulado pela família.

    As crianças estão tendo sua infância roubada! É preciso garantir um tempo para que elas possam ser crianças, para que vivam coisas que sejam compatíveis com a idade delas como o brincar, correr, andar de bicicleta, jogar bola, brigar, fazer as pazes e desenvolver vínculos de amizade com os coleguinhas. Se prestarmos atenção, vamos perceber que até os brinquedos são adultizados, por exemplo: a boneca Barbie, que as crianças adoram, tem o corpo de moça e possui namorado, o Ken.

    Então, vamos nos empenhar em que as crianças possam viver a infância e não pulem etapas. Vamos nos comprometer em evitar atitudes que até podem parecer ingênuas, mas não são, como quando permitimos e achamos graça quando eles fazem as coreografias do funk; quando perguntamos, “tu já tens namorado?”; quando damos beijinhos na boca dos filhos, tipo selinho; quando incentivamos namoro, beijinhos e declarações de namoro entre as crianças; quando deixamos de selecionar o que elas terão acesso na tv e na internet; quando dizemos que eles namoram com o papai ou com a mamãe…

    Vamos ter bom senso! Não dá para misturar os dois mundos. Crianças que são precocemente erotizadas podem estar mais propensas a iniciarem sua vida sexual mais cedo, engravidarem na adolescência, praticarem abortos e fracassarem em suas relações afetivas futuras, pois tendem a deslocar para a sexualidade toda a sua afetividade.

    Post Tagged with

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *