• Círio: um rio de amor e de fé.

     

    É Círio outra vez! E nós, Nossa Senhora de Nazaré, seus filhos devotos, chegamos de todos os cantos e nos juntamos com os que aqui moram para mais uma vez, nos unirmos nesse rio de amor, fé e solidariedade, para lhe homenagear e lhe pedir que nos perdoe por não termos aprendido a seguir seu exemplo de amor. E a senhora, do alto da sua berlinda, nos contempla com o seu doce olhar bondoso e vê que “O Círio vai passando como um rio. Rio de Anjos e brinquedos de miriti. Como um rio e sua multidão de ondas caminhantes” e, mesmo estando muito feliz com tantas homenagens recebidas, sabemos que espera de nós mais humanidade.

    Em cada canto a senhora percebe a nossa religiosidade, e se enternece em saber que mais de dois milhões de pessoas estão aqui para lhe tomar a benção, além de lhe fazer pedidos como sarar de alguma enfermidade, passar no vestibular ou num concurso, comprar a casa própria e, de uma forma muito especial, este ano lhe rogamos para que nos ajude a sermos mais humanos, a aprendermos a exercitarmos o amor ao próximo e a respeitar às diferenças. Mãe amorosa, a verdade é que muitos de nós tem participado de atos de violência e contribuído com a disseminação da cultura do ódio e do desrespeito.

    E a senhora, nossa amada Nazica, olha pra multidão que se aglomera e vê que “o Círio vai passando como um rio. A correnteza de um rio com alma e devoção. Rio de sílabas velozes. Sonoro rio e seus cardumes de canções. Um rio de ondas submarinas, pleno de naves aves velas e velames. Um rio devoto navegado pela fé, peixe a navegar por entre a correnteza”, mas nossa fé precisa ser instrumento de amor e nos transformar em pessoas melhores, que consigam ter empatia pelo sofrimento dos outros e se compadeçam com as dores do mundo.

    Nazica, nossa mãe, tu proteges a todos os teus filhos com suavidade e doçura, sem discriminar ninguém e sem exigir comprovação de credo religioso, classe social, cor, sexo ou idade, pois todos são teus filhos amados. Nós já devíamos ter aprendido contigo a viver o Círio como uma promessa de vida e de paz nos nossos corações, e a fazer esse sentimento de amor ao próximo perdurar e se concretizar em ações de fraternidade e solidariedade, mas, infelizmente, muitos dos teus filhos ainda têm muita dificuldade em acolher um irmão porque não aprendeu a respeitar as diferenças e isso é essencial para que a gente aprenda a viver em paz.

    O calor com que nos acolhemos e nos misturamos durante o período do Círio precisa servir para encorajar e fortalecer o crescimento de laços emocionais. É necessário que nosso rio de fé desemboque num porto seguro, onde a alegria, a justiça, a liberdade, a verdade, a delicadeza, a solidariedade, o respeito, a caridade. e o amor estejam ancorados. E todo esse desejo por um mundo mais justo, fraterno e igualitário só pode ser sonhado porque teu divino manto nos protege, tua mão nos afaga e teu olhar nos encoraja e nos cobra que trilhemos o caminho da paz e do amor.

    Nós continuamos errando muito, mas apesar de sabermos o quanto o teu amor e paciência são infinitos, precisamos nos apressar e nos comprometer com a construção de um mundo melhor. E como não existe momento mais especial na vida do nosso povo do que o Círio, aproveitamos esta festa de fé, em que exercitamos a solidariedade, o acolhimento e o amor para te pedir, mãezinha amorosa, que não desista de nós e continue nos mostrando o caminho da paz. Feliz Círio a todos!

    *Os versos citados são do belíssimo poema “O Círio”, de João de Jesus Paes Loureiro.

    Post Tagged with

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *